pexels-photo-207480

DROPS DE CALLS…IDEIAS EM PAPÉIS 2

Bolsas, Brasil, Drops e Ideias

Conforme comentei na Carteira Will seguem aqui algumas ideias em alguns papeis.

Ressalto: não estou recomendando nada, apenas expondo minhas ideias e/ou posições! 

LOGN3 não para. Não digam que não avisei hein! Já aviso que não espero grande coisa do resultado a ser divulgado em março. Estou com 50% de ganho nessa posição e obviamente a mão coça. Mas a assimetria ainda é grande mesmo após essa alta. Empresa vale R$ 76MM em bolsa e na minha humilde opinião sua concessão no TVV vale ao menos R$ 200MM num “worst case scenario”. Não sei se vou segurar até lá, mas ainda vejo espaço para andar.

 

Construturas. Não sei dar sugestão alguma aqui. EZTC3 é a melhor e mais cara; MRVE3 não é das mais baratas; CYRE3 é boa empresa e tem free cash flow to yield alto esse ano; assimetrias interessantes em TCSA, GFSA e EVEN; não sei nada de HBOR e DIRR;  PDGR3 e RSID3 me parecem extremamente especulativos. O que aconteceu foi uma tempestade perfeita no setor: (i) queda das taxas de juros e perspectivas de um movimento consistente de queda é bom porque reduz custo de carrego da dívida, especialmente nas mais endividadas e cria a expectativa de que as pessoas voltem a comprar; (ii) lei de distratos deu um baita gás para as empresas; (iii) aumento do valor do imóvel elegível para uso do FGTS também é boa notícia. Tudo isso aconteceu nas últimas 5 ou 6 semanas…juta a vontade pelo risco e um setor que estava largado e pronto, tá explicado essa alta absurda em alguns papéis.

 

FIBR3. Uma posição que pesou negativamente na minha carteira…postei na semana passada a respeito do papel. O que pesou foi uma postura mais “branda” vista por alguns como “frouxa” do management no conference ao comentar sobre potenciais aumentos de preços de celulose nos próximos meses. Vejo como uma postura realista. Mas o fato é que sem aumento de preço, com probabilidade de aumento forte de oferta no 2S17 e sem alta do dólar, o papel desfalece….sigo aqui #chateado. 

 

HGTX3. Se eu vender não é porque deixei de gostar, mas não vejo como, ou porque esse papel poderia andar agora…falta trigger…una lástima porque acho muito depreciada e mal precificada.

 

BBAS3. Pra quem tem estômago penso que daria pra se arriscar numa venda apostando num resultado fraco, tal qual foi Bradesco…mas tem que ter estômago mesmo, pois o mercado é de alta.

 

IPO’S. Minha percepção rápida sobre os IPO’s que estão rolando

MOVI3. Conversei, conversei, conversei com várias pessoas sobre o case o resultado é: Não me convenceu! Empresa está pagando caro pra fazer seu IPO, porque será? Demanda fraca, tanto que tiveram que reduzir preço e a JSL teve que vir dizendo que comprará 15% do IPO…faz sentido? Case de crescimento…empresa não é ruim, mas tem que se provar e a meu ver negociar com belo desconto sobre RENT3 a rainha do setor. AH lembro que JSL vem sendo investigada num caso envolvendo uma frota de carros para polícia do Rio de Janeiro…

PARD3. Quanto mais olho, mais gosto da empresa. Qualitativo muito bom. Setor que cresce independentemente do PIB porque conta com um call macro bem favorável (envelhecimento da população, aumento dos gastos com saúde, etc). Hermes opera em praça onde Fleury e Dasa não atuam diretamente. O valuation me parece bem justo para uma empresa que vem crescendo a 15% ao ano sem aquisições megalomaníacas. Crescimento de receita e Ebitda numa mesma toada e mantendo ou melhorando margem. No mid-range da oferta vem com desconto sobre FLRY, a principal comparável. ROE e ROIC alto; dívida líquida zero pós oferta e pagamento de dividendos programados agora para os antigos sócios (~214MM). Gávea saindo na oferta secundária que soma 78% do total.

Unidas. Não olhei

3 comments

Leave a Reply