20170424 – TÔNICA DA SEMANA

A Tônica

Mais uma semana que se inicia. Boa segunda a todos (os colorados me entenderão)…rs

Deixando discussões futebolísticas de lado só se fala da França…aproveitei para colocar um belo croissant e um pain au chocolat de foto da tônica…ahhh Paris…era bom!  

Bom por lá Macron ficou em primeiro lugar seguido da Le “Pain”. a meu ver só jogou a decisão para 07/05 dia do segundo turno. Afastou-se o risco de um socialista no comando francês o que é bom…mercado comemora e o Euro salta pois com Le Pen e Macron em quem tu acha que os canhotos vão votar? Na extrema-direita (Le Pen) ou no centro-direita Macron? Enfim, gooool da Alemanha que também respira aliviada e vê as chances do Euro ruir mais remotas.

euro x dolar

 

E os títulos alemães e franceses reagem…reações opostas….no caso francês a taxa caindo significa que muitos investidores estão comprando os títulos, voltando a investir no país….no caso alemão, a taxa subindo é uma consequência da venda de títulos…uma pena eu não conseguir o gráfico de um dividido pelo outro que ficaria bem mais fácil de analisar….mas enfim.

Francça jurosalemanha juros

 

O Resumo é: buy France, sell Germany….voltando a França após o risco ter se reduzido.

E as bolsas lá fora respiram aliviadas…especialmente na Europa onde o risco do Euro ruir diminuiu…

bolsas europa

 

Mas isso tudo é muito diário…uma análise de curto prazo válida hoje para segunda-feira…vamos ver até quando se sustenta.

 

Fora isso me chamou atenção no cenário internacional os desdobramentos do mercado chinês que segue realizando e pesando commodities, algo que acho bem mais relevante para o nosso mercado aqui. Caiu mais de 1,4% e vem realizando bem com o governo controlando liquidez e impondo algumas restrições no crédito e nas bolhas por lá existentes.

Vale seguir monitorando, porque isso tem impactos nos preços do minério e aço….consequentemente em grandes empresas brasileiras.

 

 

NO BRASIL….

Previdência

Previdência

Previdência

Poderia encerrar aqui…foco total…driver-mor de mercado … sigo achando que se aprovar é porrada … mercado anda no curto prazo…depois faz conta e vê que não é bem assim, mas enfim. 

Mas claro tem que ver qual será a reforma…. O cobra Temer afirmou a líderes da base aliada e ministros, em reunião no domingo, que o projeto da reforma da Previdência não pode sofrer mais mudanças e deve ser aprovado pelo Congresso da forma que se encontra atualmente…#oremos!

Dia 28 aparentemente tem greve geral e dia 1º de maio é feriado do dia do trabalho com manifestações e tudo mais…vai ter que rolar umas “maletinhas” pra nego aprovar essa reforma…dia 08/05 está marcada a votação….enfim veremos. 

Antes disso tem a votação do projeto de negociação da dívida dos estados e a tramitação da reforma trabalhista

Veremos….

 

Fora isso alguns comentários rápidos em 2 temas relevantes para a economia:  

 

  • JUROS.

Semana passada comentei sobre a regra de Taylor e o nível de juros de equilíbrio do Brasil…uma estimativa de até  quanto poderíamos ver o juro caindo…

BRASIL – NEM TUDO QUE NÃO RELUZ NÃO É OURO!

Pois bem, a XP Gestão elaborou um gráfico para falar de juros neutro que bate bem com o que tinha escrito…vale salientar que a carta foi enviada depois de eu ter feito o post…logo não tinha como eu ter copiado não…antes que alguém diga…rs.

Mas é legal ver que tem mais gente olhando ou chegando a conclusões semelhantes. Abaixo o gráfico que eles usaram de estimativa de juro neutro.

jurosneutro

 

Lembrando que para chegar no juro “cheio” ou nominal estimado, tem que fazer as continhas que postei ali no link de cima.

Onde divergimos? O pessoal de macro da XP Gestão acha que o juro vem abaixo da taxa natural e com isso tem espaço para que o fim do ciclo de queda da SELIC se dê até abaixo de 8%.

 

jurosneutro2

 

Eu já não acho tão simples assim e digo o porquê:

(i) com os EUA aumentando juros la fora como ficaria essa taxa neutra, ou até que ponto o BC seria “macho” o suficiente para reduzir drasticamente os juros? Lembrando que juros afetam câmbio também né!

(ii) o Brasil infelizmente tem o histórico de inflação tenso, onde sempre aconteceu algo que puxou inflação, logo tenho receio que esse cenário benigno que temos hoje se dissipe por algum motivo inesperado…então prefiro não dar o benefício da dúvida.

(iii) logo, logo vamos falar mais seriamente sobre eleição e aí é risco na veia! Com aumento de percepção de risco país teríamos espaço para um juro de 7% como eles citam? Eu acho que não.

Mas enfim, como diria o “gênio” Wianey Carlet (aquele que acha que o Tyson, ex-jogador do Inter, poderia ser melhor que Messi! kkkk) “só o tempo dirá!”

ASNEIRA DO WIANEY CARLET

 

Outro assunto que deveria estar num post sobre o Brasil, mas enfim…coloco-o aqui na tônica da semana…algo beeem além de reforma da previdência:

 

  • RANKING DE COMPETITIVIDADE

Algo que não é engraçado foi ver o nosso país despencar 4 posições no ranking de atração de investimentos estrangeiros direto…não aquele especulativo de curto prazo, mas sim de longo prazo onde diversos fatores são levados em conta…não apenas aqueles 5 ou 10% marotos que nêgo vem buscar aqui.

2017 A.T. Kearney Foreign Direct Investment Confidence Index®

Estamos atrás de Suécia, Itália, Espanha…nada contra esses países, mas temos muitas oportunidades de crescimento que acabam ficando na gaveta mesmo..uma lástima. Vejo países como Cingapura, Tailândia e Índia voando e nós patinando! Brasil perdeu “só” 10 posições nos últimos anos.

brasil investimento estrangeiro direto

 

 

Enfim….

 

 

2 comments

  • Will,
    gostaria de um comentário seu sobre ciclo de “commodities” e IBOVESPA. Temo que com o petróleo em queda e os metais idem, nem a reforma da previdência vai dar jeito no médio prazo (1 ano). Quero dizer que pode subir até o final do ano mas que sem mudanças posteriores no cenário das “commodities” e com as eleições do ano que vem, devolveria tudo a partir de janeiro/18. Isto sem contar a Lava jato. O que vc acha?

    • Concordo que commodities são MTO relevantes…não tenha dúvida. Logo tem q acompanhar mesmo. Mas sobre as commodities vale lembrar que o Custo Marginal de Produção é que determina seu preço de longo prazo…logo se petróleo cai abaixo de US$ 40 nego para de elevar produção e deu, acaba-se a produção em lugares fora do Oriente onde o custo é mais alto.
      Mas penso que a sustentabilidade fiscal do país fale mais alto…e como sempre (historicamente) fomos uma praça especulativa, acredito que a aprovação da reforma atrairia capital, nem que fosse especulativo de curto prazo.
      Mas concordo que 2018 será OUTRRO capítulo…eleição = incerteza = +risco = vende pra depois ver no que vai dá.

Leave a Reply