Buggpedia: O que é o Net Profit Margin (Margem Líquida)?

Buggpedia
NPM – Net Profit Margin (Margem Líquida)
Sabe o que é o Net Profit Margin? Para que serve?

 

O Net Profit Margin, pode ser traduzido para “Margem de Lucro Líquido” ou “Margem Líquida”. Em tese, a Margem Líquida é o resultado da divisão do lucro líquido da companhia pela receita líquida após deduzir todos os impostos e tributos, que nada mais é que o resultado líquido de suas vendas no período analisado. É uma métrica financeira usada diretamente para mensurar o nível de rentabilidade (de suas operações) de uma empresa. Representando assim, quanto de lucro é gerado a cada dólar ou real de vendas.

É aquela conta mais simples que qualquer pessoa que pense em fazer negócios faz. O quanto eu ganho por cada produto vendido…ou, o quanto eu ganho, o quanto me sobra, referente aquilo que eu vendo.

COMO CALCULAR

O cálculo do Net Profit Margin (Margem Líquida) é bem simples e envolve somente duas variáveis. É a razão entre o Lucro Líquido e a Receita Líquida, ou seja, fazer uma divisão entre essas duas variáveis. Logo a conta ficará assim:

 

Margem Líquida = (Lucro Líquido / Receita Líquida) x 100

 

O resultado é expresso em porcentagem!

Rapidamente, só para esclarecer…. O Lucro Líquido, é uma medida contábil que se encontra no Demonstrativo de Resultados do Exercício da empresa (DRE)… parece lógico, mas só pra reforçar é a linha que vem após todas as despesas, impostos e resultados financeiros, etc, tudo aquilo que afetou o desempenho da empresa. Vale lembrar que não necessariamente é o dinheiro em caixa, pois por vezes o lucro contábil é derivado de reavaliações de patrimônio ou resultados que fogem a operação da empresa e não se tornam caixa….mas vamos deixar isso para um outro post. Já a Receita Líquida, nada mais é do que a contabilização das vendas da empresa, o quanto ela vendeu e recebeu por isso já descontados os impostos sobre vendas e eventuais deduções.

 

ENTENDENDO O NET PROFIT MARGIN

Deu para entender que usando este indicador, o investidor terá uma visão de o quão rentáveis as empresas são, o quão lucrativas elas são. Vamos usar exemplos pra tornar isso mais claro.

Veja como exemplo as empresas do setor elétrico. Este é um setor intensivo em capital, ou seja, as empresas investem pesado (bilhões de Reais) em grandes projetos que, uma vez finalizados, rendem boas taxas de lucro como forma de compensar o risco tomado ao empreender no setor. A Taesa (TAEE11), uma empresa transmisora de energia possui margens líquidas que chegam a 70%. Ou seja, a cada R$ 100,00 de receita que entram na empresa, “sobram” R$70,00 como lucro…parece um bom negócio não?  Abaixo o gráfico trimestral da Margem Líquida da companhia:

Fonte: Economatica

 

Assim como a companhia Alupar (ALUP11), também do mesmo setor elétrico. Com uma operação um pouco mais diversificada entre transmissão e geração de energia, sua margem líquida é mais baixa, mas ainda assim elevada – acima de 40%. Abaixo o gráfico trimestral da Margem Líquida da companhia:

Fonte: Economatica

Já empresas do setor de varejo tem uma realidade bastante  diferente e tendem a apresentar menores margens. Pense o seguinte, qual será a margem líquida que uma empresa que vende por exemplo uma televisão, terá? Será que são os mesmos 70% da Taesa? Se fosse 70% a margem líquida, não lhe parece um bom negócio? E dado que vender uma televisão não requer bilhões de investimento seria fácil para qualquer um montar uma loja para vender televisões correto?

De fato a margem dos varejistas não chega nem perto dos 70% da Taesa. A competitividade, entre outros fatores, faz com que a margem seja bem menor…essas empresas ganham no giro, vendendo muitos produtos ainda que com margens baixas.

Mais alguns exemplos:

É o caso da Magazine Luiza (MGLU3), que possui uma margem líquida menor que 4%. A cada R$ 100,00 em vendas apenas R$ 4,00 viram lucro na Magazine Luiza. Abaixo o gráfico trimestral da Margem Líquida da companhia:

Fonte: Economatica

 

Assim como, a empresa Via Varejo (VVAR11), que possui uma margem líquida de menos de 1%! Abaixo o gráfico trimestral da Margem Líquida da Companhia:

Fonte: Economatica

 

Também funciona diferente para setores cíclicos, onde a Margem Líquida vai ser maior ou menor dependendo de cada período especifico daquele setor. Exemplo: quando o preço do petróleo está alto, as empresas do setor conseguem alcançar margens bastante altas…já quando o petróleo cai suas margens também sofrem.

 

Uma outra forma de analisar e ver esse dado: 

Vale ficar de olho na evolução do indicador. Enquanto uma Margem Líquida alta pode mostrar ao investidor que a empresa está indo bem em relação a sua rentabilidade nas operações. Uma Margem Líquida em queda, pode significar que a empresa está perdendo a competitividade no mercado em que ela está atuando.

Um case recente (2018) é o da Cielo (CIEL3). A empresa apresentava boas margens, mas com a chegada de novos “Players” no mercado, como Stone e PagSeguro, a companhia viu suas margens despencarem por conta de uma concorrência muito agressiva. Gráfico abaixo da Margem Trimestral da companhia:

Fonte: Economatica

 

Notem a queda que a empresa sofreu por conta de um aumento na competitividade.

Por fim, a Margem Líquida pode ser vista como uma “Margem de Segurança” para momentos de emergência ou crise. Pois, imagine que em uma situação de forte crise, onde a demanda por produtos diminui, uma empresa que tenha uma margem alta (tipo 40%) vai precisar abrir “menos mão” da margem que empresas do seu mesmo setor que tenham margens mais baixas (tipo 10%, 5%), o que lhe garante mais uma vez uma vantagem em cima da concorrência. Por isso o jargão muito utilizado quando alguém diz que vai “abrir mão da margem de lucro”, é essa margem mesmo rs.

Vale ressaltar, que como todo indicador, ele não deve ser o único a ser olhada quando se trata de avaliar empresas. Uso todos os indicadores que estiverem ao seu alcance para chegar em uma conclusão mais assertiva.

 

Espero ter ajudado!

6 comments

Leave a Reply