GAP (GPS) – NOSTLAGIA NO MERCADO?

Empresas, Lá Fora

tan tan taran tan tan tan tan …. tan tan taran tan tan tan tan … tan tan taran tan tan tan tan tan tan tan

Não eu não estou maluco…só estou curtindo aqui esse comercial da GAP dos anos 90…nostalgia pura nessa música…quem lembra: I Just Can’t Get Enough!

 

Apesar de americana a GAP se utilizou da música é do grupo inglês Depeche Mode que é de 1981….mas acredito que você tem mais de 25 anos pelo menos, provavelmente conhecerá….mas o fato é que ouvir essa música e pensar na GAP é nostalgia pura para mim…aqui vão algumas referências:

 

 

Cara é tipo uma caixa do tesouro de memórias muito diferentes…sugiro que ao ler esse texto você coloque o seguinte no Youtube: hits 90’s! Só cuida pra não chorar ou rir demais….

Mas enfim voltando, o moletonzão da GAP aí no meio não é por acaso…para um jovem ou um adolescente nos anos 90 tinha um ceerto status vestir um desses…significava que você, ou seus pais ou alguém teve acesso a um produto importado…algo que não era tão fácil de achar no Brasil!

E isso já nos sugere algo muito importante na análise de qualquer empresa de varejo vestuário: o poder da marca! Sim a marca é importante pois é uma força motriz para aquilo que é fundamental na maioria das empresas mas ainda mais forte numa empresa de varejo, que são as vendas! Empresas de varejo vestuário operam num mercado amplamente concorrencial, com várias lojas e marcas querendo te conquistar, logo suas margens são baixas…num mercado forte concorrencial com margens baixas, o jeito é girar! Ganhar no giro…vender muitas quantidades para assim obter o retorno sobre seu capital.

E assim temos 3 características do setor de varejo vestuário:

  • O poder da marca;
  • Margens baixas pela forte concorrência;
  • O giro, a venda como fundamental para o retorno.

 

A GAP é assim? 

A música do comercial da GAP dizia:

I go out of my head
I just can’t get enough

de fato eles queriam que você não se sentisse saciado ou feliz tendo apenas um moleton GAP…a ideia era te vender o boné, a calça jeans, a jaqueta jeans…etc…exatamente por essa necessidade de vender mais e mais.

Resultado de imagem para gap products 90's

 

Respondendo a pergunta acima, sim a GAP possui uma margem líquida muito apertada, mas em linha com o seu segmento. Atualmente para cada US$ 100 em vendas algo como US$ 5,35 viram lucros (5,35% de margem). Abaixo o gráfico de margem líquida histórica da GAP.

 

 

Nos “áureos” tempos a empresa chegou a ter margem líquida (de lucro) de 10%…mas hoje os tempos são outros…..e por isso cabe entender quem é a GAP hoje?!

 

A GAP hoje…

Hoje a marca GAP não é sua marca mais importante … o quadro abaixo mostra que em termos de vendas a OLD NAVY é a mais representativa em termos de vendas com ~46%, seguido pelas lojas GAP e depois por Banana Republic e tem ainda a Athleta que é uma marca de roupas de ginástica feminina.

 

 

A Old Navy é uma loja de departamento pra família…surgiu como uma versão mais barata da GAP ainda na década de 90….eles oferecem moda masculina, feminina e infantil…algo beeeeemmm mais standard do que a GAP itself…talvez por isso veio ganhando espaço….

Na verdade o que acontece é que a GAP meio que saiu de moda….wow!!! Isso é perigoso em se tratando de moda!! Ficou tipo Axl Rose no passado e atualmente?

 

Resultado de imagem para axl rose antes e depois

 

Aí acho que já é maldade né…zoeira demais…mas apesar de todo carinho,  a nostalgia parece não estar sendo suficiente  para que as vendas…a linha vermelha alinhada a direita mostra que a GAP (lojas GAP) vem demontrando queda nas vendas … ainda que a velocidade da queda tenha caído nos últimos anos…

 

 

Em compensação a Old Navy vem vendendo bem…mostrando crescimento nos últimos anos inclusive com aceleração desse crescimento nos últimos anos…

 

 

Então apesar dos pesares a GAP enquanto empresa vem conseguindo criar mecanismos de defesa contra essa aparente defasagem de vendas de sua marca principal. Gráfico abaixo mostra a evolução de suas receitas desde 2008 mostrando períodos de crescimento (barras verdes abaixo). Ou seja, seu crescimento tem sido bastante errático, mas houve algum crescimento.

 

 

Única questão é que este crescimento ficou bem aquém dos seus pares, ou das empresas comparáveis…ou seja ela cresceu menos que a média!

 

 

Em geral parece que o “grande culpado” por isso foi o elevado número de lojas em shoppings centers e a redução de fluxo que esses tem observado nos últimos anos. Soma-se a isso obviamente, coleções equivocadas, uma de suas marcas a Banana Republic não engrenou…

E isso bateu também em seus lucros…. a GAP não tem conseguido apresentar crescimento em seu lucro, o qual oscilou bastante ao longo dos últimos anos…E obviamente que isso pode ser visto nas suas margens de lucratividade que mostraram pouca estabilidade. Concorrência, advento do e-commerce, mudanças em padrões de consumo, coleções erradas….enfim muitos podem ser os motivos, mas dá pra ver que suas margens tem oscilado bastante. Os gráficos abaixo mostram a evolução do lucro e Retorno sobre o patrimônio líquido.

 

 

E suas ações saíram de moda? 

Não por acaso, nos últimos anos as ações da GAP não tem estado tão na moda assim…. o gráfico abaixo mostra que nos últimos 5 anos as ações da empresa apresentaram queda de 25% ante alta de 65% do S&P (linha preta) e 25% do XRT (S&P Retail ETF – linha vermelha).

 

 

O que contrasta com o desempenho da ação quando a empresa era sucesso de vendas e objeto de desejo dos jovens nos anos 90! Abaixo o gráfico de 25 anos da ação em comparação ao índice. Quem comprou as ações em 93 e carrega até hoje acumula um ganho de 530% bem em linha com o índice.

 

 

Overview mais positivo no papel…

Ops..uma pausa…vem cosa boa aí…..cara na minha play list dos anos 90 aqui começou a tocar Eiffel 65 – Blue (Da Bee Dee)…façam um favor pra mim…escutem isso! 

Essa música é um prenuncio de que vem coisa boa aqui também! Um cenário mais “blue” como da música acima para a GAP e seus acionistas! O ponto é que apesar de fraca performance da ação, a GAP não tem ficado parada e isso inclusive traz certo otimismo para alguns analistas de mercado.

  • Online. Face a um cenário novo e disruptivo a GAP engajou esforços no mercado online e hoje 20% de suas vendas são no canal online. Abaixo a divisão de receitas por canal…veja a evolução do Ecommerce.

 

  • Reestruturação. A empresa passou por uma reestruturação …. o ícone da moda dos anos 90 tem tentado se reinventar. A Old Navy ganhou relevância e a GAP planeja a abertura de 60 novas lojas. Além disso, eles planejam fechar 200 lojas da GAP e Banana Republic até 2020, as quais não estão performando, focando naquelas que de fato geram retorno.

  • Dividendos. Apesar dos pesares a empresa incrementou bastante seu pagamento de dividendos nos últimos anos. Com um nível de retorno elevado e confortável posição de caixa a empresa passou a pagar mais dividendos e realizar recompras de ações o que incrementou o retorno aos acionistas. Nos últimos 5 anos a taxa de crescimento dos dividendos foi de 15% com o payout atingindo mais de 40% dos seus lucros. Gráfico abaixo mostra a evolução do pagamento dos dividendos por ação ao longo dos anos, o dividend yield, as recompras de ações e seu payout (o quanto do lucro ela pagou.

 

 

  • Valuation Relativo.  Se por um lado um investidor mais criterioso pode questionar seu fraco crescimento nos últimos anos, seus elevados dividendos, sua forte posição de caixa e múltiplos (valuation relativo) menores que a indústria ou as empresas comparáveis, podem atrair outros investidores…o quadro abaixo compara os múltiplos Preço/Lucro, Preço/Vendas, Preço/Valor de patrimônio e Preço/Fluxo de Caixa. Com exceção do múltiplo Preço/Valor de Patrimônio, nos demais suas ações se mostram mais baratas que a média.

 

Ai ai os anos 90 (suspiros)…bons tempos… assim seguem os acionistas de GAP…nostalgicos que só eles….mas também os que se arriscam no ativo, torcendo para que as medidas atuais surtam efeito e suas ações voltem aos retornos do passado… 

 

4 comments

Leave a Reply