NETFLIX (NFLX) – ALGUNS “BILLIONS” SE VÃO?

Empresas, EUA, Lá Fora

NETFLIX (NFLX)

Em alguns anos analisando empresas me acostumei a focar na capacidade de geração de caixa de uma empresa, afinal de contas o que é uma empresa senão uma máquina de fazer dinheiro? Pois bem a lógica tecnológica refutou ou relativizou essa percepção e hoje o que mais importa é crescimento…depois se pensa em como se transforma isso em dinheiro. Não está errado ou certo, alguns modelos se mostram muito bons com essa estratégia.

Mas crescimento é a palavra chave do resultado do 2T18 do Netflix que explica o porquê suas ações caem 14% agora após o fechamento do mercado.

 

 

Esperava-se um crescimento de 5.0MM de assinantes fora do US e 1.2 milhões nos US totalizando 131,2 milhões de assinantes. O número decepcionou em 1 milhão a menos de pessoas sentadas e assistindo Netflix.

Não obstante houve redução de margem de lucro operacional de 12,1% no 1T18 para 11,8% e um guidance que também não colaborou mostrando um menor crescimento para frente. Então aquelas mais 270x lucros (relação P/E do papel antes da queda) são colocados a prova…volta-se a questionar a racionalidade de números tão expressivos e de estimativas de crescimento que podem não se concretizar…algo normal no mercado.

Mais que isso no “House of Cards” das empresas de conteúdo e streammming a competição vem aumentando…seria como uma horda de “Vikings” vindo guerrear por um pedaço desse mercado? É o que parece. Apesar de justificar dizendo:

Acreditamos que o apetite do consumidor por um grande conteúdo é amplo e que há espaço para várias partes ter ofertas atraentes.”

O fato é que o futuro parece mais nebuloso. HBO e Disney estão evoluindo para se concentrar e competir nesse mercado; Amazon e Apple estão investindo em conteúdo como parte de um ecossistema maior de assinaturas, sendo que essas empresas tem conteúdo exclusivo e estão se esforçando para encontrar bons criadores de conteúdo pelo mundo. Existe ainda a concorrência da AT&T/Warner Media, da Fox/Disney ou Fox/Comcast combinada, bem como players internacionais como a ProSieben na Alemanha e Salto na França.

E para finalizar a Netflix parece não se preocupar com caixa ou recursos para continuar concorrendo nesse mercado. Assim como na série La Casa de Papel, eles parecem contar com uma Casa da Moeda do mercado que tem se mostrado disposta a financiar sua queima de $500MM de caixa por trimestre ou $3 a $4 bilhões por ano.

Fato é que os “assinantes” da ação Netflix parece que não gostaram muito desse capítulo da série e alguns “Billions” irão se perder nesses próximos dias.

5 comments

  • Fala Will, blz? Agora que você está focando mais em empresas lá de fora (EUA), sabe me dizer o que acontece no caso American Express?
    Porque quando consulto os ROEs dela geralmente estão acima de 25% há vários anos e distribuem em média uns 20% do lucro na forma de dividendos (payout) de forma regular. Logo, o patrimonio dela (Shareholders equity) deveria crescer, pois não distribui todo lucro, mas vejo que o patrimonio do acionista continua sempre do mesmo tamanho nos balanços e não tem ações retidas em tesouraria em tamanho significativo(que é uma conta redutora de Patrimonio líquido). Sabe o que pode estar acontecendo? Pensei que pudesse ser devido a uma reavaliação de ativos, mas acho que também não é isso.
    Abaixo o link do balanço:
    https://www.marketwatch.com/investing/stock/axp/financials/balance-sheet

    Abaixo Link do Morningstar (onde se pode consultar o histórico de ROEs e histórico de Payout): https://www.morningstar.com/stocks/xnys/axp/quote.html

    • Excelente ponto Andrew.
      Me corrija se estiver errado, mas do que vi entendo que o uso do caixa está se dando nas recompras de ações. Veja a linha “Repurchase of Common & Preferred Stk.” no Fluxo de Caixa dela…mais de $4BI por ano em recompras de ações. Mas e aí tu te pergunta cade as ações? Eles cancelam, pois não precisam desse caminhão todo de ação pra fazer frente ao plano de stock optios….no Morning Star olhe o buyback yield como aumentou nos últimos anos.
      Penso ser isso.
      Abs

  • kkkk gostei dos trocadilhos.
    Se eu fosse apostar em streaming compraria Disney; Já tem 60 anos de conteúdo na frente da Netflix. Disney dá lucro (P/L 17) e tirando a parte de TV a cabo (que é o maior negócio hoje) o Business é excelente.
    Disney tá com o mesmo valor de mercado que Netflix. Pelo amor de Deus!

    Adoro teu site! abraço!

Leave a Reply