CARTEIRA WILL – 20181105

Carteira do Will
CARTEIRA

Mudanças, muitas mudanças na parte de ações…consegui zerar meu caixa e ficar bastante alocado…em linha com o que julgo que deveria fazer considerando que tenho uma cabeça construtiva para bolsa para os próximos meses…Seguindo aquilo que já comentei com vocês de seguir aquilo que coloco na carteira #NotBad…afinal “put your money where your mouth is”!!

Eu não recomendo nada, eu faço e estou muito satisfeito com o resultado…além disso é uma alegria poder dividir aqui com vocês os acertos…e também os erros, pois nesse mercado não existem gurus! Não se enganem!

AÇÕES

Quem compara essa carteira com a da semana passada vai ver que mudou bem. O que fiz:

  • Zerei minha posição em Banco do Brasil (BBAS3) com mais de 60% de ganho!!! Carreguei o ativo desde junho…nada mal neh?!
  • Zerei minha posição nas ações da Queiroz Galvão (QGEP3) praticamente no zero a zero (+3%)….carreguei o ativo desde junho para cá. Optei por zerar porque como vocês sabem eu não quero ter uma carteira muito grande…ideia aqui é concentrar para saber o que se está fazendo…ativo demais atrapalha na minha humilde visão. Além disso, falta trigger para o papel andar no curto prazo.

Aproveitei o dinheiro que tinha em caixa e comprei mais ações de Ferbasa (FESA4), CSU Cardsystem (CARD3) e Brasil Agro (AGRO3) no dia 01 de novembro na primeira hora de pregão.

Junto a isso adicionei 2 ativos a minha carteira a Industrias Romi (ROMI3) e a Mahle Metal Leve (LEVE3) as duas fatias em vermelho na pizza abaixo….as justificativas para ambas eu colo aqui do post que coloquei aqui embaixo:

  1. Estou fazendo uma aposta arrojada (minha opinião) num setor industrial apostando na retomada da economia.
  2. ROMI3 teve um resultado morno no 3T, mas com uma carteira de pedidos crescendo bem o que aponta para um 4T bem positivo. Empresa negocia com um desconto de 30% sobre o valor de patrimônio. Empresa com dívida controlada e com operação com baixíssima utilização da sua capacidade instalada…se Brasil voltar um pouco ela pode voar.
  3. LEVE3 é uma aposta tática em um papel que underperformou muito a bolsa nesses últimos 3 meses…. enquanto a bolsa subiu 12% as ações da LEVE3 caíram 22%…uma das explicações para isso reside na participação das exportações no total de seus resultados – cerca de 50%. Com a queda do dólar o papel sofreu…junto a isso a derrocada Argentina em nada ajudou, dado que esse é um mercado que a empresa atua. O que vejo nela é um composto interessante…. Explico: uma boa empresa com produtos diferenciados num setor commoditizado (autopeças)…com isso ela consegue “rodar” com boas margens e um retorno sobre o patrimônio de nada menos que 21%; empresa negociando a 10x lucro (acho bem ok) e um yield de mais de 6%; endividamento ridiculamente baixo. Então penso que as coisas ruins já foram precificadas e acredito que exista ai uns 30% de ganho ao menos na mesa.
  4. LEVE3 funciona ainda como um “hedge” para carteira dado que se beneficia de uma alta do dólar.

#NOTBAD

Para quem não viu, como citei acima teve 2 trocas na carteira #notbad…só acessar o link abaixo e conferir.

Ahhh…antes que eu me esqueça, encerramos o mês batendo o IBOV e alcançando a marca dos 40% no ano, acreditam?!?!? E tem gente que ainda perde tempo “traidando”…kkkk…deixa eles!

CARTEIRA #NOTBAD – NOVEMBRO 2018

Era isso.

Aquele Abs!

 

18 comments

  • Olá Will,
    Uma coisa que percebo na sua carteira desde o inicio é que quase a totalidade é composta por ações small caps ou middle caps, lá de vez em quando tem um large caps (vide BBAS3). É coincidência ou há uma razão por trás disso?
    Acompanho seu blog e canal no youtube desde o inicio do ano, gosto muito dos seus posts (direto ao ponto com leve pitadas de descontração)!
    Abraços!

    • Me pegou Sidnei! Sim tenho uma queda pelas small e mid pois acredito que é onde tu encontra as maiores inflexões….é onde tu encontra 100%, 200% de vez em quando, vide o UNIP por exemplo recentemente…por outro lado o risco também é elevado, vide VULC3 que já me deu muita dor de cabeça.
      Mas em suma é isso…gosto do approach do Peter Lynch e Joel Greenblatt, 2 gestores americanos que considero gênios!
      Obrigado pelo elogio, acompanhamento e incentivo!
      Forte abs!

  • Boa tarde, Will. Bela análise!
    gostaria de saber onde você pega os dados para suas análises, valores pagos em dividendo e etc.
    abraço

  • Boa noite. Acompanho suas análises faz bastante tempo mas nunca entendi o fato de você não se jconsiderar um TRADER. Você está sempre comprando e vendendo, comprando e vendendo… Não sei se me equivoco mas conheço esse modus operandi como TRADE DE VALOR (o que não deixa de ser um TRADE). Pode falar um pouco sobre isso ? Abraço e que você ganhe muita grana na bolsa – afinal o bebê vai demandar !!

    • Excelente comentário Walter! Até vou fazer mais um vídeo da série “porque não sou trader” só para explicar isso.
      Mas pode ser mais uma quetão de semântica ou daquilo que você entende como ser trader. Não opero no dia dia pra pagar minhas contas..aliás opero quase que uma vez por mês..não sigo analise gráfica…mas dependendo do que a pessoa considera trader eu poderia ser um
      Super válido essa tua consideração!
      Forte abs

  • Fala, Will. Parabéns pelo seu trabalho, tanto pelo site quanto no Youtube. Acompanho suas “aulas” faz uns 6 meses e é, sem dúvida, uma das melhores fontes de ideias. Você citou acima que gosta do Greenblatt e do Peter Lynch. Li o livro de ambos e acho que por isso que cheguei a uma carteira parecida com a sua. A diferença está em QGEP (resolvi segurar, sem motivo específico), CRPG5, SAPR11. Espero que consiga performar pelo menos um 1/3 do você tem conseguido em suas carteiras. Já me daria por satisfeito. Abraços e obrigado!

    • Po excelente Fabricio!
      O importante é manter a consistência e regularidade nos investimentos…ter paciência e disciplina.
      Tu citou bons ativos, certamente está com uma boa carteira!
      Forte abs e muitíssimo obrigado pelos elogios!

Leave a Reply