CARTEIRA WILL – 20190415

Carteira do Will
CARTEIRA

Bom vamos lá, da semana passada pra cá apenas 1 mudança que comento abaixo na parte de ações.

Se vou comprar mais aproveitando as quedas? Talvez…já estou bastante comprado, minha intenção com o excesso de caixa é internacionalizar uma parcela maior do meu capital.

Quero aproveitar pra falar sobre um tópico que muitos já me perguntaram:

 

OPÇÕES

Antes de mais nada deixo claro que não sou especialista em opções e fiquem totalmente a vontade para contestar o que está escrito. É apenas a MINHA opinião.

3 Pontos que me fazem não gostar muito das opções:

  1. 33,3% de chance. Para montar qualquer estrutura com opções, seja de hedge, ou para potencializar altas, ou ainda para especular que o mercado não vai se mexer, você tem que “apostar” em uma direção, logo tem 33,3% de chance de estar certo apenas. O mercado ou a ação em questão pode subir (33,3%), cair(33,3%) ou ficar de lado num range (33,3%). Isso somado a aleatoriedade do mercado, faz com que a probabilidade de você acertar a direção do movimento seja pequena.
  2. Timming é tudo! Mas supondo que você tenha acertado a direção. De nada adianta o movimento acontecer um mês depois que suas opções expirarem. Logo você tem que acertar não só a direção, como também o timming! Tipo, “eu acho que o mercado vai cair”..ok…mas vai cair quando? Pois isso faz toda diferença uma vez que as opções expiram.
  3. Caro no Brasil. Existem fórmulas e muita matemática complexa no universo de opções. Logo, qualquer “entendido” nesse mercado fica parecendo um gênio…mas a lógica nem é tão difícil assim. Partindo do pressuposto que o preço das opções depende da volatilidade, das taxas de juros e do prazo temos: o Brasil como um país com uma volatilidade altíssima, taxas de juros altas e onde fazer previsão para mais de 3 meses já é um desafio! Pronto, você tem um celeiro de opções caríssimas! Opção no Brasil é caro meus amigos! Vol, juros e incertezas são altas, simples assim! Isso sem falar na baixa liquidez que só ajuda a dificultar ainda mais.

 

Will você não usa opções na sua carteira? 

Em linhas gerais diria que 98% das vezes não.

Primeiro porque meu horizonte de investimentos é de 20 anos ao menos (tenho 35 atualmente), logo não me parece fazer sentido “proteger” carteira num determinado mês.

Segundo, porque se fosse proteger faria sentido o fazer sempre, pois você nunca sabe quando pode tomar um susto como um “joesley day” … fazer proteção sempre custa caro…são alguns % de rentabilidade que se perdem sobre a prerrogativa de “comprar seguro”…então penso que, para mim, não compensa.

Terceiro, porque tenho uma carteira que é mais pesada em papeis de baixa liquidez os quais raramente você encontra opções em condições decentes.

Quarto. Porque acredito que o hedge de fato se faça com composição de portfólio, tipo mais ou menos renda fixa, investimento internacional, commodities, etc.

 

Quando eu uso opções? 3 Situações 

Apesar desse aparente discurso contrário não sou contra não! Não estou dizendo que são as únicas formas de se usar, ou ainda nem que são as mais corretas…mas são as formas que EU uso opções:

(i) Lançando opção coberta. Tenho o papel e vendo uma opção para reduzir meu custo, ou gerar o chamado dividendo sintético. Há sempre o risco de você ser exercido e deixar parte da rentabilidade na mesa, mas acho uma operação bem tranquila e interessante. Faço-a de muito de vez em quando.

(ii) Vendendo opção de venda (PUT). É simplesmente uma forma mais barata de comprar um ativo. Você vende uma opção de venda abaixo do preço atual do ativo e ganha pra isso. Se o papel cair você é exercido e compra o papel a um preço interessante. Obviamente sempre há o risco de algo muito ruim ter acontecido e você estar comprando um papel que tenha seu fundamento alterado…mas aí é do jogo.

(iii) O “pózinho”. Comprando opção fora do dinheiro (pózinho). Vai, ninguém é de ferro né! Quem nunca? Rs. É aquele dinheiro da cachaça… 0,0algumacoisa% do seu PL só pra ter história pra contar pros amigos…kkkk

winning tv land GIF by #Impastor

Enfim isso é um resumo do que penso sobre opções…como disse, é apenas a MINHA OPINIÃO..existem diversas opiniões bem diferentes e não sou dono da verdade, apenas quis expressar o que faço com o meu dinheiro, como sempre o faço aqui. 

AÇÕES

Uma única alteração aqui que foi a redução de VALE3 em linha com o que já tinha comentado aqui que faria.

No mais tem sido sofrido. Todas minhas ações caíram essa semana…em linha com o mercado, com algumas exceções. Difícil, mas ações é isso mesmo.

#NOTBAD

Semana boa? Não. Semana ruim? Não pois a carteira caiu menos que o IBOV. Então nada a comemorar…segue o jogo.

 

Era isso.

Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves / Youtube: Willcastroalves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

14 comments

  • Olá Will. Como vc distribuirá sua carteira após atingir a total liberdade financeira?De onde viria a renda propriamente dita.
    Fiis? Td? Dividendos? Ou venda de participações à conta gotas? Muito obrigado e parabéns mais uma vez pelo excelente trabalho. Abs
    Ah é qual % considera sustentável de retirada a longo prazo, seja de dividendos ou venda? 3,4,6% ao ano? Valeu

    • Vai depender MTO dos meus gastos e do montante que vou amealhar até lá.
      Se tenho um custo mensal de R$ 10 mil pra viver..são 120 mil no ano…o ideal a meu ver seria usar apenas o rendimento real e não o nominal. Penso que seja factível alcançar uns 5% real correndo algum risco…considerando isso, eu teria que juntar uns R$ 2,4 MM para viver.
      Sobre os investimentos, eu manteria uma parcela em ações, mas colocaria mais NTN’s, FII’s e sempre tendo uma parcela internacional.
      Mas ainda estou na fase da acumulação.
      Bora trabalhar e juntar! Rs
      Abs

  • Will você comentou de vender PUT, não entendi muito bem. Nessa operação você venderia a PUT a descoberto? Em caso de você ser exercido você é obrigado a vender a ação da PUT no valor de exercício correto?
    Por exemplo: Vendi 1000 PETRQ270 (exercicio 26,25) a R$ 1,00. Embolso R$ 1000,00 e se eu for exercido (PETR4 cotada 27,00) eu teria que vender as 1000 PETR4 a 26,25 mas compraria no mercado a 27,00. É isso mesmo?

    Se eu estiver correto achei essa operação muito arriscada.

    Obrigado e parabéns pelo conteúdo do site!

    • Não Hugo, você se confundiu.
      Quando vendo uma opção de venda eu dou a oportunidade para alguém me vender a um determinado preço….em outras palavras, sou obrigado a comprar dessa pessoa ao preço do strike. Portanto só faz sentido para quem comprou a PUT q eu vendi, me exercer se o preço cair.
      Digamos que no teu exemplo a PETR caísse pra 25, eu seria obrigado a comprar por 27. Considerando q embolsei 1 com a venda da put, é como se tivesse comprado a PETR a 26, enquanto ela esta 25 no mercado.
      Sacou?

  • Boa will! faz parte esses movimentos e mesmo a gente possuindo consciência disso, ainda a gente fica meio reticente! parabéns pelo hábito do conteúdo gerado e a resiliência, cada vez mais tendes a atingir um número maior de investidores! abraços

  • Sou mais cético que você com opções, para mim é uma ferramenta especulativa que embaça o mercado. Quando da certo parece a melhor coisa do mundo, quando da errado você descobre o preço do pô ( de cinzas).

  • Olá Will, tem visto os resultados da HYPE3? Considero que estão muito bons ação está em queda sem motivo aparente, geração de caixa absurda, ação do setor de medicamentos/saude tem boa previsão de crescimento, o que acha? E havia perguntado em outro topico, nao te preocupa a questão de UNIP6 não ter Tag Along? Acho muita desproteção ao minoritário mas os resultados da empresa estão excelentes!

  • Vinicius, o tag along não serve pra nada é pura ilusão, se a empresa quiser ferrar os minoritários faz e pronto.
    Pra direitos só vale mesmo a 3.

Leave a Reply