Buggpedia: O que é o EBIT (Lucro Operacional)?

Buggpedia
Tempo de leitura: 5 min
EBIT – Earnings Before Interest and Taxes
O que é o EBIT? Para que serve?

 

O EBIT, pode ser traduzido como “Lucro Antes de Impostos e Taxas”. É um indicador de lucratividade da empresa. Também conhecido como Lucro Operacional, por oferecer uma visão sobre os resultados operacionais da companhia. Isso é interessante, porquê quando excluímos as despesas com impostos ou custos de juros da conta, você chega a uma visão mais eficiente da capacidade operacional daquela empresa.

 

COMO CALCULAR

O cálculo é simples e existem várias formas de se calcular esse indicador. Uma delas é assim:

 

EBIT = Receita total – Custo do Produto ou Serviço vendido – Custos da operação

 

Essa uma forma. A outra forma é:

 

EBIT = Lucro Líquido + Juros + Taxas

 

Ou até assim:

 

EBIT = Lucro Bruto – Despesas Fixas (entra aqui, despesas operacionais, despesas com vendas, despesas financeiras, receitas financeiras, despesas gerais e administrativas).

 

Esse último é o melhor para entender, ainda mais quando olhamos para a DRE. Como o exemplo abaixo:

Logo, para destrinchar mais ainda e ficar de fácil entendimento, poderia ficar ainda assim:

= Lucro Bruto

(-) Despesas operacionais

(-) Despesas com Vendas

(-) Despesas Financeiras

(+/-) Receitas Financeiras

(-) Despesas Gerais e Administrativas

= EBIT ou LAIR ou Lucro Operacional

 

Vale ressaltar que todos esses dados são encontrados nas DRE’s dos releases de resultados trimestrais e anuais das companhias abertas. Muitas vezes você não precisa calcular, pois já vai estar tudo dado. Além disso, o EBIT, tem vários nomes que podem aparecer como Função Financeira, Ganho Líquido por exploração, Resultado de Exploração, Resultado Operacional Líquido e Lucro Operacional.

ENTENDENDO O EBIT

O EBIT pode ser usado para várias finalidades. Um exemplo, seriam empresas do mesmo setor, mas que estão enquadradas em ambientes fiscais distintos. Como um incentivo fiscal ou uma redução no ICMS, por exemplo, o que seria bem mais interessante ao se avaliar olhando o EBIT. No caso da Grendene (GRND3), empresa varejista do ramo de calçados. A própria companhia coloca no release que o EBIT, seria mais justo de se olhar para se avaliar a sua performance operacional.

Fonte: Release da Grendene 4T18.

Além disso, o EBIT serve como um “termômetro” para o investidor que mede o lucro que uma empresa está gerando de suas operações, ignorando variáveis como carga tributária e até a estrutura de capital da companhia. Sendo assim, o investidor consegue ter uma visão geral se a empresa está gerando lucros suficientes para ser lucrativamente (obviamente rs), pagar suas dívidas e financiar as operações continuas.

Uma das diferenças entre o EBIT e o EBITDA. É que o EBIT inclui em seus números os valores de depreciação e amortização, que não necessariamente representam uma saída de caixa (é apenas para fins contábeis). Logo, isso acaba por prejudicar a métrica EBIT, por isso cuidado ao fazer uso dele nas análises. Caso esteja analisando uma companhia que tenha muitos ativos fixos, com outra do mesmo setor que tenha muito poucos ativos fixos. A despesa de depreciação “prejudicaria” a empresa que tem muitos ativos fixos, já que a despesa reduz o Lucro Líquido da mesma contabilmente. Além disso, empresas com uma quantidade grande de dívida provavelmente terão uma alta despesas de juros, o EBIT elimina o efeito das despesas de juros e acaba por aumentar o potencial de lucro. Neste caso seria interessante incluir a dívida no caso, especialmente se o aumento de dívida tiver sido por causa de falta de fluxo de caixa ou por vendas ruins.

Por fim, espero que tenha ficado claro a importância do EBIT e porquê seu uso é necessário para todo investidor. Lembre-se que é apenas um múltiplo isolado. Então não se limite a apenas ele e use o máximo que estiver ao seu alcance.

Eu me chamo Breno Bonani e espero ter ajudado!

Twitter: @Breno_Bonani  Instagram: @bonani_ Linkedin: Breno Bonani

Leave a Reply