BRASIL – WHO CARES?

Bolsas, Brasil
Tempo de leitura: 7 min

Muita coisa a falar por aqui…

Primeiro tivemos boas notícias vindas das eleições…realmente o sinal das urnas foi claro: MUDANÇA! Importante para confirmar esse novo ciclo. Vale lembrar que temos lá na frente um belo desafio…2018…não falo da Copa, pois essa agora tem uma perspectiva um pouco melhor com Tite ao comando da seleção, mas sim das eleições….mas isso é um problema lá pra frente.

Segundo. Resultados das empresas não estão entusiasmando não, mas o mercado tem se apegado as coisas boas e não quer muito olhar qualquer coisa que não seja positiva…então WHO CARES?!

Me pergunto e MTO sobre esse frenesi de sermos os “queridinhos”, a “bola da vez”… falei com um agente de uma mesa institucional esses dias e ele me disse que tinha muito local comprando Petro e Vale só porque não queria ficar pra trás nessa alta…perigoso quando a racionalidade sai de campo….mas enfim…WHO CARES?!

 

Falando um pouco de dados econômicos, foi bem importante para reforçar esse cenário de “arriba” um indicador que gosto de monitorar e ao menos registrar aqui: os dados de confiança!

Até porque eles tem sido o “main driver” de bolsa até agora…ele e os gringos na verdade. 

(i) A confiança do consumidor melhorou em outubro com as expectativas mais altas, chegando ao patamar mais elevado em quase 2 anos, segundo a FGV:

confiancaconsumidorout16

 

“Apesar da tendência ainda declinante do mercado de trabalho, as perspectivas de desaceleração da inflação e de queda das taxas de juros parecem contribuir para previsões menos pessimistas em relação à evolução das finanças familiares e para as perspectivas de compras de duráveis no curto prazo”, disse a coordenadora da sondagem do consumidor na FGV, Viviane Seda Bittencourt, em nota.

 

(ii) o Índice de Confiança da Construção (ICST) registrou alta de 0,1 sobre o mês anterior, apesar da piora no dado da Situação Atual que perdeu 0,3 ponto, a 64,5 pontos.

confiancaconstrucaoout16

“A piora (do índice que mede a percepção em relação à situação atual) decorre do aumento do número de empresas indicando que a situação está estável, sugerindo que a atividade da construção não está mais em queda, mas mantendo em um patamar baixo”, disse em nota Ana Maria Castelo, coordenadora de Projetos da Construção da FGV/IBRE.

A FGV também divulgou nesta quarta-feira que o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC-M) desacelerou a alta em outubro a 0,17 por cento, ante 0,37 por cento em setembro.

 

Já um dado que não foi nada lá essas coisas foi o da expansão do crédito para economia. Nossa economia sempre cresceu com a alavanca do crédito, mas ao menos por ora esse não está fluindo. Mas não te preocupa que os bancos vão ter seus bons lucros..os dados mostraram que os spreads seguem monstro!!

Mas WHO CARES para os dados macro? Just BUY IT!

 

E O DÓLAR HEIN? 

Semana passada chamei atenção para a descorrelação do índice dólar contra o Real…ta lá na Tônica da Semana dia 24/10: TÔNICA DA SEMANA – 20161024

Agora olha a atualização disso…a seta azul indica o ponto que chamei atenção para isso…

dol-x-real-2

 

 

Só não comentei que é um movimento global onde as moedas de emergentes performaram bem ante o dólar com a redução da percepção de risco e recuperação de preços de commodities. Dá uma olhada nessa tabela que compara diversas moedas (ZAR = Africa do Sul; RUB = Rússia; CLP = Peso chileno)….

 

pares-de-moeda

 

E OS JUROS HEIN? 

Agora uma outra coisa que começa a me chamar atenção, pois é mais uma diferença nossa para o resto do mundo, é o comportamento dos yields ao redor do globo. Comentei sobre isso no post sobre a Europa:

EUROPA – DE REPENTE AS COISAS MUDAM DE LUGAR

E também na Tônica da Semana:  TÔNICA DA SEMANA – 20161031

Isso tem implicações aqui!

Mas não são só os desenvolvidos que estão experimentando uma venda forte de títulos (elevação dos yields); os emergentes também! Veja que os yields subiram na Argentina e México por exemplo:

 

 

Isso é deveras importante para nós, pois o diferencial de juros com outros países vai se reduzindo. Ainda mais se o cenário de redução de juros começando a sair do papel!

E a julgar pelo último dado de inflação ao produtor aqui do Brasil, tem espaço para o Ilan vir com um 0,5 p.p. na próxima reunião sim!

 

  

Na semana que passou tivemos uma leve alta dos juros pelos comentários mais “conservadores” digamos assim da autoridade monetária…mas não mudou a tendência que é pra baixo…o que pode mudar um pouco essa concepção de juro pra baixo ad aeternum são esses yields mundiais que comentei acima além da mudança que estamos vendo nos indicadores/expectativas de inflação pelo mundo com as altas em diversas commodities.

 

E A BOLSA HEIN?

“Eu tenho tanto pra lhe falar, mas com palavras não sei dizer” … por isso trago um gráfico de um rel do Itaú acerca do P/L da bolsa brasileira. Batendo um ponto onde NORMALMENTE vemos uma realização, ou então um ajuste de múltiplos. A julgar pelos resultados das empresas, esse não deve vir agora e considerando toda alta que tivemos, seria racional pensar em realização…mas o que há de racionalidade no mercado de ações?????

ibovmultiplospe

 

Essa semana temos os bancos e vááááárias outras empresas divulgando seus números (VIDE AGENDA NA TÔNICA DA SEMANA)…bom momento pra achar uns triggers aí pra alguns papeis.

Só deixo um recado aqui: muito cuidado com as compras após essa alta.

Apesar de que, na real, WHO CARES? Just BUY IT! 

 

 

 

Leave a Reply