TÔNICA DA SEMANA – 20161121

A Tônica
Tempo de leitura: 4 min

Sendo rápido e objetivo já vou dizer o que penso para a semana: 

 

Acho que existe espaço para recuperação do IBOV para as próximas 2 a 3 semanas na esteira da aprovação da PEC 241 ou 55 no Senado e adiante, mas principalmente com a expoectativa de reforma da previdência; junto a isso teríamos uma recuperação natural depois do sell off que tivemos em novembro. Jogam contra: falta de fluxo de investidor estrangeiro com o rearranjo global; as commodities rateando; os dados macro ainda fracos; e a sempre presente possibilidade de lava-jato lavando alguém do governo. 

 

All in all acho que podemos ter uma recuperação paulatina e lenta, mas buscando os 65k para o final do ano salvo qualquer susto. Foco em alguns ativos que ficaram para trás e/ou foram muito penalizados com a alta na curva de juros, casos de TAEE11 e BRML3 por exemplo…ahh e na Carteira Will dessa semana comento sobre um ativo que me parece muito interessante!

 

Rapidinhas 

 

 

  • Sigo confiante na venda de VALE…comento mais no posta da Carteira Will…minério caiu de novo e ADR’s caem…vamos ver…metade já está no bolso com um ganho honesto de 6% em 3 dias.
  • NTN’s suas lindas…já estou ganhando 3% sem o ativo sequer bater na minha custódia…rs
  • Anúncio de BBAS me parece porrada! Em tese é LL na veia e uma mudança estrutural e de visão acerca de como ele é gerido hoje….a meu ver papel deve voar.
  • Não sei o que se passa com CIEL…sinceramente.
  • ECOR é outro papel que sofreu com a guinada na curva de juros…adiciona a lista do ficar de olho.
  • BVMF segue pesada com mercado com medo do CARF…final de mês chegando é assim mesmo…mas tirando essa nuvem, esses volumes negociados recentemente vão impactar resultado no 4T hein…me parece barata.
  • Focus segue aumentando o pessimismo em relação a 2016 e projetando um menor crescimento para 2017 hein.

 

 

Agenda mais fraca: 

Segunda: atividade do FED de Chicago; discurso do Draghi; e internamente tem os dados de arrecadação do governo.

Terça: vendas de casas usadas nos EUA; internamente tem o saldo das contas externas.

Quarta: dia cheio com PMI da Alemanha e zona do Euro e um leilão de títulos de 10 anos do governo alemão; pedidos de bens duráveis, pedidos de seguro desemprego, PMI da industria, confiança do consumidor de Michigan, vendas de casas novas, estoques de petróleo e ata do FOMC, tudo isso nos EUA. Internamente tem o IPCA-15.

Quinta: dia alemão…temos o PIB, expectativa de negócios, índice IFO de clima de negócios no principal motor da economia europeia.

Sexta: PIB britânico; balança comercial e PMI composto nos EUA; internamente tem o resultado do governo central.

Devemos ficar de olho ainda na formação do governo Trump e em alguns desdobramentos políticos na Europa com as eleições do ano que vem na França e Alemanha começando a pipocar no noticiário.  Não obstante, nosso cenário político doméstico sempre inspira cuidados.

Leave a Reply