CURIOSIDADES: Quem usou mais o estado de emergência? Trump ou Obama?

Curiosidades
Tempo de leitura: 1 min

Semana que passou Mr.Trump declarou estado de emergência nacional na fronteira para assim ter acesso a recursos financeiros que o permitam cumprir sua promessa de campanha.

Muita gente pode achar absurdo…o pessoal da Globo esperneia…mas a realidade é que a declaração de emergência é mais comum do que pode parecer! Até hoje foram declaradas 58 emergências nacionais nos EUA desde que a Lei Nacional de Emergências entrou em vigor em 1976!

Normalmente elas são usadas para emergências internacionais…relacionadas a questões de fora e não dentro do país…mas ainda assim, elas são mais corriqueiras do que parecem.

A mais uma coisa…Obama usou e abusou delas…rs

Infographic: Trump to Declare National Emergency Over Wall Funding | Statista

 

donald trump whatever GIF by Election 2016

Era isso.

Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves / Yotube: Willcastroalves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

8 comments

  • Olá William, para colocar em perspectiva, vamos ver o que as declarações de emergência nacional do Obama foram:

    Obama:
    – Restrições contra Coreia do Norte
    – Gripe Aviária
    – Bloqueio de recursos de pessoas que contribuíram em conflito na Somália
    – Bloqueio de recursos de pessoas relacionadas à Líbia
    – Bloqueio de recursos de crime transnacional
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas à guerra do Iêmen
    – Bloqueio de recursos de russos ligadas à enriquecimento de urânio
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas à guerra na Ucrânia
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas ao Sudão do Sul
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas a República Centro Africana
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas à Venezuela
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas a ciberatividades
    – Bloqueio de recursos de pessoas ligadas ao Burundi

    Todas foram bloqueio de recursos contra atividades de desestabilização global ou regional, com exceção da gripe aviária.

    Acho que é bem diferente de desviar fundos para gastar em um muro na fronteira que foi negado pelos dois partidos no Congresso e tema da campanha legislativa mais recente, na qual o Partido Republicado foi derrotado na Câmara.

    • Sobre as declarações de emergência do Obama, dá para questionar algumas…sem viés…tu mesmo citou uma exceção.
      Com relação ao muro, dependendo do prisma você pode considerar uma emergência nacional fechar a fronteira contra mal feitores não?
      TU colocaste bem quando diz que a matéria foi negada no Congresso….no entanto nas urnas, o discurso do muro agradou a uma parcela relevante da população e ajudou Trump a ser o presidente…então, apesar de muitos congressistas (essencialmente políticos) não quererem “ficar de mau” com a mídia, ao que me parece, a vontade da maioria seria a da construção não?
      Apesar da divergência de ideias agradeço teu comentário!
      Abs

      • Olá Will, obrigado pela resposta. A Gripe Aviária foi um caso de emergência nacional, pois ameaçava virar uma pandemia, a exceção que citei era exatamente aos bloqueios e não à forma de burlar a atribuição do Congresso.

        A destinação de recursos do Orçamento é uma atribuição do Legislativo não do Executivo, por isso o problema. Líderes do partido Republicano têm criticado a medida (Susan Collins, Marco Rubio, John Cornyn foram os mais explícitos), pois abre um precedente para qualquer futuro presidente declarar uma emergência quando for barrado pelo Congresso.

        O mesmo eleitorado que elegeu Trump, também elegeu o Congresso. E se não há maioria no Congresso para aprovar o muro e essa é uma função dos legisladores, o voto popular, neste caso, favorece a não construção do muro e não o contrário.

        Não acho que valha a pena entrar na discussão do que é ou não emergência, pois apesar dos números de imigrantes ilegais pela fronteira sul estarem caindo há décadas, a noção de emergência é pessoal. Não vejo emergência e é uma posição também defendida pela inteligência norte-americana (veja o testemunho de Dan Coats, Gina Haspel and Christopher Wray no Congresso em 29 de jan). A permanência ilegal nos EUA tem sido majoritariamente de pessoas que ficam após entrarem legalmente por aeroportos (fonte: Department of Homeland Security e Center for Migration Studies).

        É importante ver que a construção do muro é uma jogada política de Trump para eleição (e possivelmente reeleição) e ele tem sido bombardeado pela base e a Fox News por não fazer o suficiente para construir o muro. Infelizmente, para ele, o Congresso não está ao seu lado e acredito que é uma jogada perigosa usar Emergência Nacional para burlar a destinação de recursos.

        Abraços

        • Explicação bonita e fundamentada…mas será que o americano que votou no Trump concordaria? Será de fato que ele concorda com o congresso barrar o presidente? Tenho minhas dúvidas.
          Mas concordo que tem aí um “q” de o trump querer mostrar ou entregar aquilo que prometeu durante a campanha.
          VEremos…

    • Não é defender o muro do Trump, mas sim questionar o ódio a ele apresentado por veículos de comunicação e mta gente que não entende ou conhece a realidade americana.
      Só isso.
      Abs

  • Ótima demonstração Will, o questionamento e a comparação é obrigatória para se chegar a verdade dos fatos, seu levantamento evidencia o quanto as pessoas de maneira geral estão acostumada com noticias, sem entender que noticia não é o mesmo que informação, tal como ocorrem com dados, e estatísticas que lançados ao vento não dizem nada. Ocorre uma grande movimentação política para desacreditar o governo de Trump assim como com o do Bolsonaro, quem fala contra o governo de Trump ignora o crescimento que ele tem proporcionado nos EUA, quebrando paradigmas e hábitos perpetrados pelos sacanas que vivem exploração do vitimização, seja de classes, etnias ou financeira. Evidente que não é nada perfeito como nunca nada nessa terra será. Só que entre os grilhões comunistas travestidos democracia, que amaram o indivíduo o escravizando intelectualmente e a liberdade do homem poder trabalhar e se desenvolver, é inegável que as pessoas que sentem na pele essa diferença não se deixem enganar por promessas e manipulação midiática ou estatal. Espero que não demore para o Brasileiro acordar para isso.

Leave a Reply