CARTEIRA WILL – 20190513

Carteira do Will
Tempo de leitura: 7 min
CARTEIRA

Investindo no Exterior

Vamos lá, já tinha comentado aqui o meu objetivo de chegar a 20% da minha grana total investida lá fora … nessa foto sou esperando o dólar baixar para conseguir mandar mais grana para lá!

Resultado de imagem para esqueleto esperando

Ideia é ir testando e conhecendo o mercado lá fora, para depois aumentar minha exposição lá…mas tá difícil. A ideia de internacionalizar tem a ver com o projeto o qual estou inserido atualmente (Avenue Securities), mas também a consciência de que através do mercado americano eu amplio o volume de oportunidades…são mais de 5000 ativos, dos mais diversos.

Esses dias o S&P 500 estava caindo…não lembro exatamente o dia, mas foi no dia da queda forte de mais de 1%… fui olhar e achei uma ferramenta bacana no app do Market Watch que informava que haviam mais de 2000 ativos se valorizando naquele dia! Apesar da queda, o mercado americano tem ativos tão diversos que são muitas vezes descorrelatos de grande parte dos grandes temas atuais!

E para aqueles que tem medo de uma crise nos EUA, e por isso não acham que devam investir lá, eu fiz um post há algum tempo atrás que refuta qualquer argumento…segue:

5 RAZÕES PELAS QUAIS VOCÊ VAI QUERER TER SEU DINHEIRO NOS EUA, CASO HAJA UMA GRAVE CRISE COMO 2008

 

Enfim…no mais vendi umas ações e por isso os 4% de caixa  as quais comento mais abaixo…

 

AÇÕES

Vamos lá bastante coisa a comentar por aqui…e o mais importante: vou sempre falar a verdade aqui!

Creio que um investidor se forma aprendendo a perder, sabendo lidar com as perdas muito mais do que com os ganhos! (by Will)

Então vamos lá…

VULC3

Peço 1000 desculpas, mas realmente não tinha explicitado aqui que zerei minha posição no papel. De fato zerei na semana retrasada, antes do resultado. Em suma: (i) resultados fracos no 4T18 e 1T19 (analise do 1T19) sem muitas perspectivas de melhoras; (ii) setor não vai muito bem vide os números fracos da Grendene; (ii) despesas com a integração com a UA devem demorar algum tempo até maturarem; (iii) dificuldade de fazer os calçados femininos da Azaléia engrenarem. Não acho a empresa ruim, só acho o momento complicado. Carreguei o ativo por um bom período (pouco mais de 1 ano e meio) e tive perda de 30% ao todo.

UNIP6

Zerei minha posição no papel. Nada demais, apenas tenho a intenção de ter uma carteira mais concentrada. Como saiu da Carteira #Notbad de maio, optei por zerar. Carreguei por um bom tempo…vendi até o limite dos R$ 20 mil em um ou outro mês, comprei mais…enfim…longa história…dessa última vez, ganho de 5% em cerca de 2 meses.

BRKM5

Muita gente perguntou e a resposta é: continuo com o papel; se eu zerasse minha posição hoje, teria um prejuízo de 20% considerando meu preço médio. Já que mencionei, não gosto da estratégia de ir comprando mais e mais enquanto o ativo cai na bolsa..penso que sempre posso estar errado e esse tipo de estratégia poderia me gerar perdas consideráveis. Sobre o papel eu diria o seguinte….tempestade perfeita sobre ela: (i) Trade War afeta perspectivas de crescimento e consequentemente mercado de resinas; (ii) operação nos EUA e México reportaram um resultado mais fraco no 1T19; (iii) dificuldade dela em publicar o report 20-F lá nos EUA, colocando o deal com a Lyondell sob risco; (iv) a questão do afundamento do solo em Maceió por conta da extração do sal gema…esse último o mais importante a meu ver, pois pelo que conversei o risco de derrota para Braskem não é baixo e penso que a indenização também poderia ser de elevado valor. Com tudo isso, não é de se espantar que suas ações caiam…isso tudo me parece, veio sendo colocado nos preços. O que não está no preço? Um bom deal com a empresa sendo vendida a um preço consideravelmente maior que esse de tela. Por ora sigo nela….tipo o Mickey aí embaixo:

mickey mouse rain GIF

 

No mais tivemos resultados de algumas empresas…vou ser breve e comentar em 1 parágrafo minhas percepções.

LOGG3

Breno já postou análise do papel: Analise do resultado do 1T19.

AGRO3

Nada de muito novo ou interessante no resultado…mas é fato que quem olha gosta. Veja que recentemente Banco do Brasil e Credit Suisse começaram a cobrir o ativo e seus targets foram: R$ 20,00 e R$ 22,00 respectivamente. Com um valor líquido de ativos (NAV) de R$27,00 ela segue me parecendo muito mal precificada pelo mercado.

CSNA3

Números muito fortes por conta da operação de minério de ferro. Sigo achando ela bem interessante pelo case de desalavancagem. Empresa já reforçou que esse é o seu foco e os avanços nesse sentido tem sido claros. Com menor alavancagem reduz-se o risco de solvabilidade longo prazo, menos despesas financeiras e melhores resultados.

BRPR3

Resultado não foi lá essas coisas e não me admira o papel ter ficado parado. Vacância seguiu bem abaixo de 12 meses atrás, mas deu uma leve aumentada nesse 1T19 ante o 4T18. Valor de mercado de suas propriedades se valorizou…pouco…mas valorizou. Mas me agradou muito o fato de terem recomprado os bônus perpétuos que tinham em dólar – zera a exposição cambial e reduz o custo de dívida…eles já tinham informado isso na verdade. Outro ponto é que seguem renovando o seu portfólio de ativos. Sigo comprado e vendo valor, ainda que não visualize nenhum trigger que motive altas no papel.

Por ora acho que é isso…

#NOTBAD

Carteira começou o difícil mês de maio com uma performance bem razoável…reflexo essencialmente da boa performance de 2 ativos a LOGG3 e a TRIS3. Cedo para comemorar…vamos ver como o mês evolui.

No mais teve gente me perguntando como faço com os dividendos: para o cômputo da performance da carteira eu reduzo o preço de entrada dos papeis…na prática do dia dia eu recompro o valor em ações. De forma simples e resumida é isso.

Esse mês 3 ativos ficaram “ex” e foram ajustados e por isso os “*”.

Qualquer dúvida só chamar.

 

Era isso.

Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves / Youtube: Willcastroalves/

Linkedin: William Castro Alves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

5 comments

Leave a Reply