20190805 – Tônica da Semana: QUE FRIACA!

A Tônica
Tempo de leitura: 7 min
Que Friaca! 

Cara abandonei o verão inglês, que convenhamos não é tudo isso, para vir ao Brasil resolver algumas coisas e meu amigo que friaca que tá aqui! Estive na minha terra natal e mesmo agora em São Paulo e vou te dizer que estou passando frio por onde ando! 5 anos no RJ e mais 1 ano e meio em Vitorinha me fizeram ficar estilo Renato Gaúcho, reclamando de qualquer friozinho! kkkk

Mas não foi só as temperaturas que caíram…nossa macro parece ter estagnado!

O Índice de Confiança do Consumidor FGV recuou 0,4 ponto em julho, para 88,1 pontos mantendo-se em nível baixo em termos históricos; e o Índice de Confiança da Indústria caiu para o menor nível desde outubro de 2018.

A projeção de crescimento para 2019 segue estagnada…com sorte cresceremos 0,82%; mas me chama atenção as projeções para 2020 que começam também a declinar, hoje em 2,1% segundo o Boletim Focus.

Também de olho nisso, os juros baixaram e com uma aceno para um corte até maior do que o esperado? Parece que caminharemos para os 5,5% de juros, um recorde histórico! Mas nas curvas não houve muita mudança…curva de 2 anos pouco se mexeu com essa decisão do Copom.

E o mais perturbador disso tudo é a resiliência do alto desemprego. Segundo o relatório PMI tivemos agora em julho o terceiro mês consecutivo de redução no número de empregos na indústria. Parece que congelamos e não conseguimos fazer a linha do desemprego derreter – linha azul do gráfico abaixo!

 

Um mercado quente? 

Por outro lado, quando olhamos para bolsa, o otimismo se mantém. Como comentei semana passada, para mim persiste o sentimento de “quem está fora quer entrar, mas quem tá dentro não sai”. O que mudou da semana passada para essa? Apenas o cenário externo o qual eu comento mais abaixo.

Ma olhando internamente o empuxo dos juros segue sendo o determinante para o otimismo… Pode soar exagerado, mas a visão do mercado é que o juros baixos desencadeiam uma série de fatores benignos para o mercado…nada de novo, mas não podemos ignora-los:

  • O mais óbvio: juros mais baixos atraem mais agentes para o investimento em ativos de risco. Base de ativos (total assets) seguiu crescendo no Brasil, mas os recursos foram dragados para renda fixa…LCI’s, LCA’s, CDB’s, títulos públicos a taxas altas. Com o vencimento destes e as taxas mais baixas existe uma grande chance de vermos uma rotação de recursos para renda variável e a linha amarela desse gráfico abaixo subir. Um caminhão de dinheiro entrando gerando força compradora….algo que inclusive já vem ocorrendo!

  • Menor “cost of equity”. Juros mais baixos reduzem taxas de desconto dos fluxos de caixa ou dividendos futuros o que por si só tornam ações mais valiosas. Já comentei a respeito mais sobre o racional por trás disso nas tônicas do dia 22 de Julho (Investir na Bolsa é um exercício de Fé?) e também no dia 24 de junho (Surfando os juros) confere.

 

  • E o mais importante… Juros mais baixos reduzem custos de débito e financiamento o que no final das contas diminui a despesa financeira e aumenta o lucro. Ora se as empresas lucrarem mais, o que acontece com suas ações? Já abordei o tema aqui no post clássico: Ações de 100% e a regra de ouro!

 

Fim do verão? 

Tradicionalmente Agosto não é um mês muito bom para o mercado americano. Desempenho do S&P nos últimos 10, 20 anos ou desde 1950, não tem sido bom nesse mês – vide gráfico abaixo. Seria o fim das férias e a galera voltando meio de mau humor?

E começamos o mês bem com a tensão comercial entre US e China dando o tom! S&P tomou um tombo com o mercado reprecificando a falta de um acordo entre as 2 potências.

Acho bem ruim para ser sincero! Verão se foi e o que vemos é um mundo desacelerando.

Quando você olha a industria então é estarrecedor! Se liga no dado que vou passar agora para vocês!

75% das economias do mundo estão vendo sua industria contrair!!

Imagem

Não é de se admirar que o sentimento lá fora é de risk off...

E os mercados emergentes acabam sofrendo…

 

Pega Japona que tá frio lá fora! 

Expressão da minha vó…”pega Japona que ta frio lá fora”. Se você não sabe o que é uma japona, eis a resposta:

Pois é, a tensão comercial (China x US) aumentou essa semana e como de praxe o VIX explodiu!!

Seria esse um easy trade? Compra um ETF lá fora que ofereça exposição ao VIX e aguarde alguma coisa chacoalhar o mundo? Seria, mas como essa exposição se dá via derivativos, quando as coisas estão calmas você perde dinheiro … logo pode não compensar o risco. O ETF para quem quer se expor é o VXX que por ser facilmente adquirido através da Avenue Securities.

Outra forma bem tradicional de se proteger do frio é se abrir no calor do ouro….ai ai…eu tinha isso e vendi…por isso passo frio hoje!

Só não passo mais frio porque tenho hoje 12% do meu patrimônio dolarizado – comento na Carteira Will. Para quem não viu, devagar, devagarinho o dólar vai subindo…

 

Pra Acabar

Sigo com a mesma opinião de que o cenário para o Brasil é bom. Quem tá fora quer entrar e quem tá dentro não quer sair. Paramos é verdade. Falta novidade para substanciar novas altas. Falta lucro para substanciar novas altas! Faz frio lá fora, então é normal que bata um vento aqui internamente também. 

Na minha carteira não posso reclamar…semana passada postei a Carteira #Notbad que acumula 40% de ganho no ano…e junto a isso, sigo o conselho da minha vó e carrego minha japona (investimentos dolarizados) comigo.

Segue o jogo…

wrap up adidas GIF by Real Oviedo

 

Era isso.

Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves / Youtube: Willcastroalves/

Linkedin: William Castro Alves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

9 comments

  • Will , você conhece a São Carlos Empreendimentos, é semelhante a logg, houve spin off das lojas americanas da família Lemann e Sucupira há algum tempo,a empresa é negociada bem abaixo do valor patrimonial ( VP ˜ 56 / cotação 33 reais ), entrega valor sequencial ao acionista, mas tem política de dividendos escassa, qual será a razão da manutenção desta assimetria de valor? Obrigado Will

    • Cara ela é um case no mercado.
      Há anos ouço falar dessa assimetria e de o quão bom é o ativo e tudo mais…normalmente por pessoas que tem o ativo.
      Nunca mais olhei e não sei dizer o q se passa pra ser sincero.
      Abs

      • puxa, ver as métricas dele é de encher os olhos, muito bem gerida, crescimento constante, estão investindo em Centros de Conveniência, na minha cidade fizeram um muito grande em local estratégico, chama best center a empresa deles de conveniência, hoje os centros de conveniência representam 10% do portfólio, os 90% são lajes corporativas, eles geralmente compram ,fazem melhorias e revendem. Por exemplo, mês passado edifício onde foi o Mappi em São Paulo eles compraram, avaliado em 2017 por 125 milhões, foi a leilão e arrematado após em torno de oitenta e poucos milhões por uma empresa, mês passado eles compram por 70 milhões , deram uma entrada e vão pagar em vários anos corrigido por cdi, com os inquilinos já dá um cap rate 10%( imagem potencial com retroflit etc).Eles têm muitos ativos que seguram ao longo do tempo, dê uma olhada no portfólio deles, sempre compram em um preço fenomenal, os gestores são investidores pacientes. Em suma, eles têm ótimo cap rate, vacância 12,5%( sempre mais baixa em relação aos pares), divida em torno de 20% do portfólio( dívida com juros baixos), estão bem alinhados com os cotistas. Em setembro haverá nova avaliação dos preços dos ativos( anual) , com a queda da taxa de juros acredito que o NAV aumentará ainda mais. Bom, vejo uma excelente empresa, mas pouco conhecida. Me chama mais atenção que os FIIs de lajes corporativas como Hgre. Obrigado pela atenção e por compartilhar tantas informações valiosas conosco. Abs

  • Will, comecei a operar na avenue. Tentei comprar uma ETF da vanguard, uma all in one, que tem na sua composição, RF e RV e faz rebalanceamento automático. Ela não estava disponível na avenue, que disponibiliza apenas ETFs negociadas nas bolsas americanas. Seria interessante vc fazer um artigo sobre as ETFs disponíveis na avenue para os mais variados tipos de estratégias.

    • Vlw Thiago!
      Sim lá são só ETF’s que negociam nas bolsas americanas.
      Mas tem bastante opção…já viu o AOR – iShares Core Growth Allocation ETF
      Ele se enquadra nisso q tu flw – um ativo que funciona como uma carteira completa – e tem na plataforma.
      Forte abs

Leave a Reply