Sanepar (SAPR11): custos operacionais e dívida líquida aumentando

Empresas
Tempo de leitura: 4 min
Highlights principais

Dia 12 de agosto foram divulgados os resultados de Sanepar. Acredito que números vieram aquém do esperado.

– Lucro líquido caiu -8,3%, saindo de R$ 253 milhões para R$ 232 milhões

– Receita Líquida aumentou +7,8%, indo para R$ 1,099 bilhão, saindo de R$ 1,019 bilhão

-Dívida Líquida aumentou 17,6%

 

 

-Margens diminuíram

-índice de água tratada foi de 100% e cobertura de coleta de esgoto de 73%

– No 2T19 faturaram menos com água tratada que foi de 127,9 mm3 contra 130,3 mm3 no 2T18 devido ao volume de chuba maior, o que diminui o consumo de água, segundo a Empresa.

 

 

A receita operacional bruta cresceu 7,5%, passando de R$1.098,7 milhões no 2T18 para R$1.181,4 milhões no 2T19, este crescimento decorre do Reajuste Tarifário Anual – IRT de 5,12% em 2018, impactando integralmente em 2019, do Reajuste Tarifário Anual – IRT de 8,37%, que começou a vigorar em 24/05/2019 e da ampliação dos serviços de água e esgoto e do aumento no número de ligações.

 

 

Custos aumentaram em 13,8%, principalmente ao aumento de materiais, energia elétrica e Fundo Municipal de Saneamento e Gestão Ambiental.

 O EBITDA no 2T19, que representa o resultado operacional da Companhia, foi de R$402,2 milhões, contra R$400,1 milhões no 2T18. A margem EBITDA passou de 39,2% para 36,6%. Esse desempenho ocorreu pelo crescimento de 12,5% dos custos e despesas que impactam o EBITDA, em contrapartida a receita líquida aumentou 7,8%. A geração de caixa operacional no 2T19 foi de R$382,8 milhões, crescimento de 17,2% em relação ao 2T18. A Conversão do EBITDA em Caixa Operacional foi de 95,2%.

 

Regulação

Empresa foi autorizada a aplicar o índice de reposicionamento tarifário de 25,63% a partir de 17 de abril, sendo que isso será diferido em 8 (oito) anos, sendo que a primeira parcela corresponderá, no ano de 2017, a um reposicionamento médio de 8,53% (oito virgula cinquenta e três por cento), e as demais em 7 (sete) parcelas de 2,11% (dois virgula onze por cento).

A estimativa do valor a receber decorrente da diferença entre a Receita Requerida e a Receita Verificada, tem como melhor estimatica R$1,159 bilhão. Em termos reais, do índice 25,63% a ser reposicionado em 2017, integrou a tarifa da Companhia 13,16%, restando ainda 11,02% a ser diferido até 2024.

 

Reajuste tarifário

Reajuste Tarifário O Conselho Diretor da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná – AGEPAR homologou em 16 de abril de 2019, por meio da Resolução Homologatória nº 006/2019, o Reajuste Tarifário Anual – IRT de 12,12944% sobre os serviços prestados a ser aplicado a partir de 17 de maio de 2019 e aprovou também a aplicação da Tabela de Tarifas de Saneamento. Em decorrência da homologação parcial da medida cautelar deferida por meio da decisão monocrática materializada no Despacho 478/19-GCFAMG, face a tomada de contas extraordinária do Tribunal de Contas do Estado do Paraná – TCE (Processo nº 312857/19), o reajuste homologado pela AGEPAR está sendo aplicado parcialmente em 8,37135% (oito inteiros e trinta e sete mil, cento e trinta e cinco centésimos de milésimos), pró rata die a partir de 24 de maio de 2019.

 

Pagamento de Juros sob capital próprio

Provavelmente serão pagos mais juros sob capital próprio durante o ano, o que pode chegar a cerca de 6,5%, pela cotação atual, caso Empresa mantenha o histórico de pagamentos.

 

 MEU OUTLOOK PARA SANEPAR

Verificando o case, a Companhia está negociando a cerca de 8,3x lucros anuais e 5,6x Ebitda. As despesas operacionais aumentaram bastante o que acende um sinal amarelo. Como parte positiva, mas que ainda contêm riscos, é fazer valer o reajuste tarifário, eis que ainda não está totalmente em vigor, o que pode ser um trigger para a Empresa, que sofre sob a ótica de regulação estatal e desconto nos preços de suas ações.

Abraços, 

Eliseu

Leave a Reply