Tributação de Investimentos no Exterior

Lá Fora, Vídeos
Tempo de leitura: 6 min

Promessa é dívida! Falei que ia fazer um vídeo comentando sobre a tributação de investimentos no exterior e cá estou. De forma simples, a ideia aqui é quebrarmos alguns mitos sobre o investimento internacional, especialmente nos EUA.

Abaixo, deixo vocês com um infográfico sobre o assunto e em seguida podem conferir meus comentários e o vídeo ao final.

 

 

1) “O investimento é tributado duas vezes” 

Errado!

O Brasil tem um acordo de reciprocidade com os EUA, então não há bitributação. Você apenas paga a diferença de alíquotas existente entre os dois países.

Por exemplo: se você receber dividendos nos EUA, eles são tributados em 30% na fonte. Você não pagará nenhum imposto extra no Brasil em cima disso, uma vez que dividendos não são tributados aqui. Você tem apenas que informar a receita sobre a existência desses dividendos através do carnê-leão.

 

2) “É muito difícil e complicado”

Errado!

A declaração do imposto de renda de investimentos internacionais é semelhante à de renda variável no Brasil, na qual você declara onde seus recursos estão investidos e eventualmente recolhe o IR em caso de ganhos acima da faixa mínima de isenção.

Há casos, inclusive, em que a diferença da declaração no exterior é até vantajosa em relação ao caso brasileiro.

Por exemplo, ao declarar o imposto de renda sobre dividendos no Brasil, você tem que informar a(s) entidade(s) pagadora(s), uma a uma. Por outro lado, nos EUA basta somar todos os dividendos recebidos e informá-los de forma agregada.

 

3) “Não tenho direito a isenção”

Errado!

Existe sim uma faixa de isenção do imposto e ela é maior nos EUA! Enquanto no Brasil você tem uma isenção para vendas de até R$ 20 mil em ações por mês, nos EUA esse montante sobe para R$ 35 mil em ganhos de capital.

Ou seja, você pode vender ações com ganhos (até o limite de R$ 35 mil) e não pagar nenhum imposto!

 

4) “Tenho que declarar o imposto de renda em dólar”

Errado!

Você tem que declarar em REAIS, mas a Receita determina qual a taxa do dólar a ser usada na hora da declaração. Essa taxa não tem nada a ver com o câmbio vigente quando você enviou ou trouxe os recursos.

Especificamente para o IR de investimentos no exterior, você vai utilizar na sua declaração a taxa de câmbio do dólar comercial para compra vigente no último dia útil da primeira quinzena do mês anterior.

Esta é a cotação do dólar que você usará para toda declaração feita em um determinado mês.

Por exemplo: se estamos em outubro de 2019 e eu quero declarar meus investimentos no exterior, a cotação que tenho que usar é a do dólar comercial para compra vigente no dia 13 de setembro de 2019. Isso porque o dia 13 foi o último dia útil da primeira quinzena de setembro (mês anterior ao período que se refere a minha declaração).

 

Bônus: o pai de todos os mitos
Investimento no exterior é ilegal”

A essa altura, você já deve saber que isso está completamente errado!

Muita gente associa o investimento internacional a lavagem de dinheiro, acesso a paraísos fiscais ou qualquer outra atividade ilegal que busque burlar o fisco.

O motivo disso é o imaginário popular que historicamente associa o investimento lá fora a quantias gigantescas de recursos que agentes políticos e/ou empresários adquirem de forma ilegal, enviam lá pra fora e obviamente não declaram.

Mas a verdade é que não existe absolutamente NADA de ilegal em investir fora! Você não vai ter problemas com a polícia, com o fisco, com consulados (para tirar vistos) ou quem quer que seja, desde que faça tudo de forma legal e utilizando instituições sérias.

 

E o que você pode fazer em relação a isso tudo? 

Eu uso a Avenue Securities para investir no exterior e ela me fornece todos os dados e relatórios para fazer a minha declaração. Super recomendo porque facilita muito a vida!

Uma vez que você abre a conta, terá acesso na área logada a uma aba só com relatórios e um deles é para a declaração do imposto de renda. Dá uma olhada:

 

 

Mais dúvidas? 

Sei que vocês tem diversas dúvidas a respeito. A melhor forma de tirá-las é ir na fonte! Por isso, deixo esse link para um conteúdo completo de perguntas e repostas da Receita Federal.

 

Vídeo onde comento tudo isso: 

 

Era isso.

Aquele Abraço.

Twitter: @willcastroalves / Youtube: Willcastroalves/

Linkedin: William Castro Alves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

20 comments

Leave a Reply