Grandes Investidores: Bill Ackman, apostando no Zero?

Grandes Investidores
Tempo de leitura: 8 min

Quem vos escreve aqui é o Eliseu. Desde o início da minha jornada no mundo de investimentos procurei ler, estudar e buscar mais e mais conhecimento. Hoje, passados 15 anos, sigo aprendendo, mas posso garantir para vocês que o que mais me ajudou nessa caminhada, foi estudar o que os grandes mestres, os grandes nomes, grandes gestores de mercado fizeram e ensinaram. Por isso resolvi compartilhar com vocês aqui no Bugg, o que aprendi, através dessa série “Grandes Investidores”. Espero que os ajude, assim como esses ensinamentos têm me ajudado a ser um investidor melhor.

 

Bill  Ackman – Biografia

Bill Ackman, cujo nome é William Albert Ackman, nasceu em 11 de maio de 1966, de família judia, ele cursou História, na Harvard University e aos 26 anos fez um MBA na Harvard Business School. Ele é um investidor americano, gestor de fundo e filantropista.

Criou aos 26 anos, em 1992 a Pershing Square Capital Management, de gestão de fundos, junto com outro colega do MBA. Ele é considerado um investidor ativista, que tenta tomar o controle das companhias que investe, visto por muitos como um investidor contrarian (investidor que investe diferentemente da maioria, realizando movimentos muitas vezes polêmicos). Por seu estilo de investimento, Bill Ackman é muitas vezes criticado por outros gestores de fundos e o público em geral. Um dos movimentos mais conhecidos executado por ele, foi ter vendido investimentos ligados ao mortgage ou hipotecas de imóveis nos EUA onde ganhou milhões.

Entre 2012 e 2018 manteve investimentos de venda contra a Herbalife, acreditando que a Empresa era uma pirâmide, no qual esse movimento virou um documentário disponível no Netflix, chamado Betting on Zero.

Sua fortuna pessoal é de cerca de US$ 1,7 bilhões e é considerado um dos 20 gestores mais ricos do mundo.

O início

Começou a carreira no ramo de venda de imóveis, trabalhando para o pai em uma empresa de corretor de imóveis. Em 1992, Ackman fundou junto com o ex-colega de Harvard, David Berkowitz, a empresa de investimentos Gotham Partners. Em 1998 chamou atenção ao captar cerca de U$ 500 milhões com a intenção de comprar o Rockefeller Center, junto com outras empresas de seguro e real state, chamando a atenção para a Gotham Partners.

No ano de 2002, Ackman começou a fazer pesquisas sobre empresas ligados ao investimento imobiliário nos EUA, com especial atenção à MBIA, a qual ele dizia estar vendendo ilegalmente direitos creditórios de uma empresa que não existia. Acreditando que a MBIA iria ter uma queda em suas cotações, comprou seguros contra a queda, vendendo posteriormente esse seguro durante a crise de 2008 e 2009 com grande lucro.

Já teve inúmeras desavenças com outro investidor que tratei aqui, Carl Icahn, começando em 2003 e até 2017, no case Herbalife, que vou comentar um pouco mais nesse texto.

Em 2004, acabou fundando a Pershing Square, com US$ 54 milhões iniciais. Ele é quem gerencia os investimentos, realizando estratégia de long and short em empresas de capital aberto ao redor do mundo.

Total de ativos sob administração em bilhões da Pershing, Empresa de Bill Ackman

Em 2006, a Pershing, empresa de Ackman, acabou comprando a rede de restaurantes “Wendy´s International” e forçou a venda de uma de suas empresas, a “Tim Hortons”, realizando um spin off (uma empresa que estava dentro de outra empresa é separada da “empresa-mãe”e levado ao mercado de capitais) realizando um IPO (uma oferta no mercado de ações pela primeira vez), levantando US$ 670 milhões para os investidores da “Wendy´s”. Após esse movimento e divergências sobre a sucessão na Empresa, Ackman vendeu suas ações da Wendy´s, resultando em uma queda brusca nas ações da Empresa.

Abaixo sua carteira atual:

Investimentos atuais são basicamente concentrados em 9 empresas: Chipotle, Hilton, Lowe´s, Starbucks, Berkshire Hathaway e United

 

O famoso caso da Herbalife 

Em dezembro de 2012, a Pershing começou a apostar contra a Empresa Herbalife, sendo que vendeu diretamente cerca de US$ 1 bilhão, chamando a empresa de “um esquema de pirâmide”. Ela emitiu uma pesquisa e direcionou ao público em geral.

Em uma rede de TV ele e Carl Icahn (veja aqui o post sobre Carl Icahn), discutiram na rede de tv nacional CNBC, na qual Carl Icahn chamou Ackman de a “um bebê chorão do jardim de infância” e a “mãe de todos os short squeezers (termo usado em que um vendido em ações, vê as ações subirem e precisa recomprar por um preço maior do que vendeu, gerando um prejuízo no investimento). Cabe salientar que Ackman pagou cerca de US$ 50 milhões em publicidade contra a Herbalife durante todo esse processo.

O caso foi parar nos tribunais e a Herbalife teve que responder na Corte Americana. Em 22 de novembro de 2013, Ackman comentou que iria manter-se vendido em Herbalife até o “fim da Terra”.  Em julho de 2016, a Corte Americana fez um acordo com Herbalife que teve que pagar US$ 200 milhões e mudar um pouco o negócio que tinha. Após esse acordo, estima-se que Ackman teve uma perda de US$ 500 milhões em seu Fundo Pershing, eis que as ações de Herbalife acabaram subindo 13% nesse dia.

Em novembro de 2017, Ackman falou para a Reuters que tinha encerrado a posição de venda de Herbalife, mas que iria continuar apostando na venda através de opções de compra de put (que aposta na queda das cotações), usando não mais que 3% do total do Fundo.

Isso denota uma característica nada positiva e perigosa para qualquer investidor: a teimosia! Importante como investidores diferenciarmos paciência de teimosia, já que o mercado e a cotação de Herbalife já estavam dando sinais de que a ação poderia voltar a subir e ainda assim Ackman demorou mais de 1 ano e meio para encerrar sua posição de venda na empresa.

Abaixo a performance do seu fundo:

histórico de retornos de Bill Ackman nos últimos 3 anos não vem bem, porém em 2019 ele está acima de 46% de retono em 2019

 

Filosofias de investimentos
  • Um ponto em comum com os mais ricos e melhores investidores é que todos falharam alguma vez: enfrente a adversidade, aprenda e corrija erros e siga em frente, sabendo como lidar com adversidades!
  • Estude o sucesso, leia sobre os grandes investidores e seus comportamentos
  • Invista bem: invista em empresas de capital aberto de preferência e não em startups. Entenda também como a empresa faz dinheiro e compre ações dessas empresas ótimas por um preço justo, de preferência em empresas que durem para sempre.
  • Seja direto nos negócios e na vida
  • Tenha confiança no que faz e na maneira que investe
  • Seja crítico nos investimentos e tente pensar de maneira diferente
  • Construa um caminho de aprendizado nos investimentos.
  • Não siga a manada e treine para ter estômago, um dia você vai precisar.

Era isso!

Um grande abraço,

Eliseu.

Leave a Reply