CARTEIRA WILL – 20191021

Carteira do Will
Tempo de leitura: 5 min
1ª VEZ AQUI?

Primeiramente seja bem vindo!

Aqui você não vai encontrar nenhuma recomendação, promessa de lucros extraordinários, ou fórmula correta para ganhar dinheiro no mercado. Aqui você sempre vai encontrar a verdade e a realidade daquilo que faço com o meu dinheiro…meus erros e meus acertos. Meus 15 anos de mercado, tudo que estudei, vivi, vi, me formaram e ainda me formam, como um cara que pode compartilhar algo que talvez possa te ajudar.

Posto a minha Carteira Global, abro a minha parcela investida em ações; e a #Notbad é uma carteira teórica que criei mas me comprometi em colocar meu dinheiro nos ativos que nela constam.

Quem tiver dúvida só me mandar um mail: william@bugg.com.br 

 

CARTEIRA

Nada de substancialmente novo por aqui…apenas um leve aumento da parcela de caixa com a zeragem de um ativo conforme comento mais abaixo… Com dinheiro em caixa pretendo comprar alguns ativos da minha própria carteira que me parecem subavaliados…safra de balaços vem aí…preparados?

Um parênteses sobre o dólar… a porta de entrada do investidor ao mercado global. Apesar da queda do índice dólar (dólar em comparação a uma cesta de moedas) no mês de outubro, temos visto certa resiliência contra a moeda brasileira. Em outras palavras, o dólar “teima” em não cair contra o Real.

O que explica isso?

No longo prazo, países que apresentam mais crescimento e uma inflação mais controlada, tendem a ver a sua moeda se valorizar ante outra. Foi o caso do Real contra o Dólar nos últimos 24 anos, com os EUA, em geral, crescendo mais que o Brasil e mantendo sua inflação controlada. Entretanto, no curto prazo, o vetor principal tem sido o dos juros. Crescem as apostas de novos cortes de juros (redução na taxa Selic) no Brasil o que diminui a atratividade deste ao investimento estrangeiro de portfolio. Não há alteração nesse cenário que vem pressionando o câmbio e seguimos vendo o dólar teimosamente acima dos R$ 4,10 e por vezes alcançando R$ 4,20.

 

 

 

AÇÕES 

Vamos lá o que fiz nessa semana:

  • Zerei TIMP3: no âmbito das trocas da carteira #Notbad fui vendendo e me desfazendo das ações. Nada contra ou substancialmente novo no case da empresa…apenas não gosto de ter uma carteira muito grande. De agosto a outubro (período que carreguei ela) tiver uma perda de 5%.

 

  • Comprei mais MYPK3: gosto de ir montando posição aos poucos nos ativos. Iochpe entrou para carteira #Notbad de outubro num preço de R$ 18,70. Comprando aos poucos e “sentindo o mercado”, consegui reduzir meu preço médio para R$ 18,44….pode parecer pouco, mas já é alguma coisa. Comento as razões para ter ela na carteira nesse post aqui: porque MYPK3.

 

  • Comprei mais BBAS3: fiz reserva no âmbito da oferta…baixei meu preço médio de R$ 45,38 para R$ 44,19.  Já comentei aqui algumas vezes como vejo o banco descontado ante a média dos bancos e do mercado como um todo. Apesar dos receios com os impactos de um default da Odebrecht, me sinto convicto no case e por isso ela é a principal posição da carteira. Abaixo o gráfico que compara ela aos demais bancos. Tradicionalmente BBAS3 tem desconto ante os bancos privados, mas hoje me parece exagerado.

 

 

Ademais o atual P/L dela me parece deveras barato, negociando a menos de 7x lucros!.

 

Como um extra que não coloco na conta, ou…não espero que aconteça, existe a possibilidade de privatização…algo que recentemente voltou a mídia. Enfim…

 

E a foto da parcela de ações ficou assim:

 

 

#NOTBAD

Realmente o momento não tem sido bom para a carteira #Notbad…faz parte…aprendi a conviver com isso…é importante saber perder.

Mas dói…sempre dói.

Ainda assim, lembro a todos que o mês não terminou! E com uma carteira concentrada, por vezes basta que 1 único ativo performe bem para “salvar” o agregado.

Sigo aqui na oração!

 

 

 

 

 

Era isso.

Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves / Youtube: Willcastroalves/

Linkedin: William Castro Alves

Instagram: @willcastroalves / Facebook: William Castro Alves

4 comments

Leave a Reply