20190624 – Tônica da Semana: SURFANDO OS JUROS

Geral

Temporada de Balanço 2T21: Segmentos que devem se destacar

26/07/2021

Geral

Diversificar internacionalmente: 3 Tipos de Investimentos

26/07/2021

Geral

Xiang Yu: Diversas opções nos desviam de nosso objetivo principal

26/07/2021

A Tônica da semana, Geral

Tudo que vai deixa o gosto...

26/07/2021

Geral

Blau Farmacêutica (BLAU3) - A Biogen Brasileira?

26/07/2021

Geral

O que a Reforma Tributária irá alterar nos seus investimentos:

19/07/2021

19 comentarios

  • Bom dia Will,
    Mais uma vez ótima tônica. Uma dúvida de principiante: como que se define a curva de juros do Brasil? Como se chega a este valor citado 3,68% aa? Obrigado!

    • O valor é definido pelo mercado que compra e vende esses títulos de 10 anos. Quando há muito comprador o preço sobe e o retorno diminui pois o juro é fixo.
      QUanto aos 3,68% ele resulta do desconto da inflação…a qual uso os dados de meta do Banco central que é de 4% ao ano.
      7,68% – 4% = 3,68% de juro real.
      Entendido?
      Forte Abs!

  • Excelente artigo como sempre Will.

    Brasil 10 anos seria um Proxy dos nossos Pres 2029 com cupons semestrais?

    Obrigado

  • Acho que as estimativas do IBOV pros cenários da Previdência estão um pouco pessimistas, minha opinião.
    Em dólar, ainda estamos longe da máxima histórica, fora a liquidez global que continua altíssima.
    Obrigado por compartilhar sua visão Will.
    Abs

  • Excelente tônica, Will. É como o Nigri diz, essa reforma da previdência é como se fosse aquela pessoa que tem gastos de R$5500,00 por mês, mas ela ganha R$5000,00, então a reforma apenas vai equilibrar as contas por um curto período de tempo. Como essa pessoa (Brasil) não é consistente, aos poucos já voltará a exceder os gastos além do que é possível para ela.

    Will, como faço pra encontrar esse gráfico que você postou dos juros do Brasil a 10 anos e o Ibov no TradingView? Procurei aqui e não encontrei.

    Abraços!

  • Começando a seguir seus post Will, muito bons por sinal. Uma pergunta sobre a correção da máxima histórica do IBOV: seria mais correto deflacionar pelo IPCA ou em relação ao dólar? Consultei o moneytimes e a comparação foi feita com o IPCA. Cita-se que a máxima histórica seria com IBOV (não corrigido) a 130 mil pontos, em consonância com seu cenário para reforma da previdência com 1TRI ou mais.
    https://moneytimes.com.br/blog-do-pq-o-ibovespa-esta-na-maxima-historica/

    • Muito obrigado pela confiança Hugo!
      Então Hugo, essas são análises interessantes que justificam a mesma coisa: o nosso atraso e tempo perdido nos últimos anos. A ideia é que nossa bolsa tem muito espaço para “correções”, seja via IPCA ou dólar. Questão é: vai ajustar? Pq ajustaria?
      Isso é totalmente dependente da capacidade do país se consertar e as empresas serem geradoras de caixa…se isso acontecer corrige o que tiver que corrigir. Rs.
      Essa é minha opinião.
      Forte abs!

  • Will, não ficou muito claro pra mim porque as ações do setor imobiliário são tão sensíveis a queda nas taxas de juros…

    • Opa, vamos lá.
      Diria q por 3 motivos:
      (i) Porque muitas delas tem dívidas com juros flutuantes e qdo o juro cai suas dívidas ficam mais “baratas”
      (ii) Porque seus produtos (apartamentos e casas) normalmente são comprados de forma financiada, então o juro mais barato estimula muito a compra do imóvel.
      (iii) Porque afeta o mercado de ações como um todo…taxas de desconto dos fluxos de caixa futuros diminuem e, consequentemente, fica mais fácil achar valor nas ações.
      Espero que tenha conseguido explicar.
      Forte abs!

Deixe uma resposta