20200609 – PODCAST BOM DIA USA: S&P zera perdas no ano, mas mercado em queda hoje. E mais: Hertz, Macys, Michaels e ETF Hight Yield.

Podcasts
Tempo de leitura: 10 min

E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

**ONTEM**

Tivemos uma segunda feira positiva nos mercados americanos que levaram o S&P500 a zerar as perdas do ano, passando a subir 0.05% em 2020!

  • S&P: 1.2%
  • Nasdaq: 1.1%
  • Dow: 1.7%
  • Setores: Todos os setores em alta novamente e, assim como na sexta-feira, destaque para o setor de Energia/Petróleo (XLE +4.5%, acumulando +20.9% no mês) apesar da queda nos preços dos contratos futuros… busca por risco.

Além da liquidez, busca por ativos de risco, a alta também foi impulsionada pela mudança de diretriz da OMS.

OMS

Acho que cabe aqui mencionar aquilo que muitos estão chamando de um equívoco sem tamanho da OMS. Ontem a OMS disse que a contaminação por pessoas assintomáticas do vírus é MUITO RARA e alertou que os governos deveriam focar em detectar e isolar apenas pessoas contaminadas e COM SINTOMAS. Essa /e uma mudança radical de posicionamento e que pode ter efeitos significativos nas políticas públicas de resposta à pandemia. Obviamente que bate também na própria credibilidade e confiabilidade da organização. E em termos políticos, muitos que criticaram o presidente Trump podem rever seu posicionamento.

  • Petróleo: WTI Agosto -3.5% a $38.42/barril
  • Dólar: O dólar fechou no menor valor em três meses com queda de 2,75%, cotada a R$ 4,8544 – o menor valor desde 16 de março. Com o resultado, a moeda americana já acumula recuo de 9% apenas no mês de junho – mas ainda tem valorização de 21% no ano.

 

**HOJE**

  • Asia: Na Ásia, o índice Sanghai SE+0,62% e o Hang Seng Index, avançou 1,13%. Já o Nikkei 225, de Tóquio, caiu 0,38%

O otimismo global tem uma pausa nesta terça-feira e as Bolsas europeias operam em queda, assim como os futuros de Nova York. Os investidores calculam se essa recuperação dos mercados não ocorreu em um nível superior ao que será a recuperação da economia, que ainda sofre os efeitos do isolamento social imposto pela pandemia.

  • Europa: quedas de mais de 2% O Euro Stoxx registra variação negativa de 1,92% e o DAX, de Frankfurt, cai 2,22%
  • Futuros Os futuros do Dow Jones caem 1,12% e os do S&P 500 recuam 0,91%.

 

**DESTAQUES**

LIVE

Em momentos de euforia e otimismo é que devemos ser prudentes e pensar em proteção não é mesmo? Adianta contratar o seguro depois que bate o carro? Então essa é uma das tarefas mais difíceis do mercado, o “contrarian thinking”. Pensando nisso, convido todos a participarem da live exclusiva para clientes amanhã as 19hs onde eu vou falar um pouco sobre alternativas de proteção para sua carteira. Será no canal da Avenue do Youtube, acessível apenas através do link disponibilizado no site ou via email.

 

FLIGHT TO GARBAGE?

Ontem mais uma vez vimos ações ligadas a reabertura da economia performando muito bem. Ações intimamente relacionadas à reabertura da economia mostrando mais um dia de força com airlines e cruzeiros se destacando: American Airlines (AAL +9.3% dia / +93.4% mês / -29.2% ano), United (UAL +18.8% dia / +73.6% mês / -44.7% ano), Delta (DAL +8.2% dia / +46.6% / -36.8% ano), Norwegian (NCLH +19.8% dia / +71.5% mês / -54.0% ano), Carnival (CCL +15.8% dia / +58.3% mês / -51% ano) e Royal Caribbean (RCL +8.2% dia / +44.8% mês / -43.7% ano).

Depois do flight to quality, quando investidores buscaram proteção no dólar e títulos de divida americano; vimos o flight to cash king, com as empresas mais sólidas e com mais caixa performando bem; e mais recentemente o flight to risk com mais e mais investidores buscando ativos que caíram muito e que foram duramente atingidos pela crise do corona. Até aí tudo bem…o problema é que na ânsia de buscar ganhos de curto prazo muitos com o sentimento “fear of missing” começam a buscar retornos e investimentos em ativos de qualidade duvidosa…penny stocks e afins.

 

HERTZ (HTZ)

Comentando de uma delas que tem chamado atenção. As ações da Hertz subiram 574% em 1 semana. Isso é normal? A meu ver não. Muito acreditam que exista algo…algum deal, acordo para salvar a empresa, ou etc. Mas a verdade é que ninguém sabe e a grande maioria especula com o desconhecido. A realidade é que a empresa tem uma dívida líquida (já descontado o caixa) de US$ 19 BI! Grande parte dessa divida (15BI) tem como garantia os carros. Ou seja, no limite ela daria os seus carros como garantia aos devedores que provavelmente teriam algumas perdas já pq esses carros devem ter valor de venda menor q esses 15bi. Mas ok. Ainda faltam 4BI de dívidas de uma empresa sem ativos para operar. Uma alternativa seria fazer uma nova emissão de ações…passar o chapéu para o mercado. A empresa vale hoje $300MM…para levantar recursos que sejam suficientes para algo, teria que captar mais de 3x seu valor atual, para quem sabe ressurgir das cinzas. Detalhe um dos maiores acionistas da empresa, o bilionário hedge fund manager Carl Icahn jogou a toalha esse ano e vendeu seus 40% na empresa esse ano acumulando pedas de $1.4BI. Ele vinha investindo e apostando numa reestruturação desde 2014. Quis apenas trazer uma pouco de realidade. Atrás de toda ação existe uma empresa…saiba o que se passa com ela antes de investir.

 

VAREJO

Outras empresas que tem estado no foco de muitos investidores são as empresas de varejo. Ontem as ações da Michaels (MIK) saltaram 58% para $ 8.74, depois que o JPMorgan elevou as ações para compra com um target em $13.

A Michaels é uma varejista especializada em artes, artigos para festa, decoração, etc; que opera mais de 1200 lojas nos EUA e Canadá. Para o JP “Dado o aumento do otimismo em relação ao ritmo da recuperação econômica, examinamos nosso universo de cobertura em busca de oportunidades e acreditamos que o MIK representa a melhor vantagem potencial a preços atuais ”, escreveu o analista Christopher Horvers.

E a Macys (M) foi outra de varejo que vem surpreendendo. Já comentei dela aqui como uma empresa com dificuldades de vender e se adaptar ao momento do varejo, mas com ativos e liquidez que garantem que não estrará em falência. As ações da empresa sobem mais de 80% em 30 dias e no after saltavam mais 12%. A empresa informou que levantou 4.5BI em novos financiamentos para fazer frente as suas necessidades de liquidez. Macy disse que, como resultado, espera ter “liquidez suficiente” para atender às necessidades de seus negócios durante esse período mais tendo, ou seja, comprar mercadorias novas para as próximas temporadas de vendas e o pagamento dos vencimentos das dívidas nos exercícios fiscais de 2020 e 2021.

 

ETF DE BONDS.

Semana passada comentei 7 ETFs que te permitem exposição aos títulos do Tesouro Americano. Quem não viu conefere lá. Essa semana vou focar nos ETFs de bonds corporativos. Títulos de dívida de empresas…No Brasil temos debentures, LCAs, LCIs, CRIs, CRAs…nos EUA temos diversos títulos mas o nome geral que damos para os títulos de dívida são os bonds. Começo falando do maior ETF de bonds de empresas grau de investimento disponível no mercado e uma alternativa para quem não sabe como começar:

HYG – iShares iBoxx $ High Yield Corporate Bond ETF

Ele replica um índice de emissões de dívida em dólar, mas que são consideradas high yield, ou seja, sem grau de investimento. Importante mencionar que títulos high yield apresentam uma característica de maior risco…ou seja, eventualmente algumas dessas emrpesas podem até entrar em falência. Por isso sua carteira é bastante diversificada com mais de 1000 títulos com diferentes maturities (vencimentos) cupons e etc. Sua carteira tem bonds de Centene Corp, T-Mobile, Sprint Corp, Ford, Netflix, entre outros. São Fundo paga dividendos mensais e hoje negocia com um yield de 5%. Sua volatilidade também é mais alta…ou seja, em meio a crise, muitos investidores saíram de investimentos como esse com o receio de que empresas pudessem dar default da dívida. No ano o fundo cai 2%; mas em 12 meses sobe 3%; em 3 anos +12% e em 5Y +23%.

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer: O conteúdo deste podcast é apenas para fins informativos, não serve como recomendação de compra ou venda de qualquer título na Avenue ou em qualquer outra conta. Ele também não é uma oferta ou venda de um título. Também não são relatórios de pesquisa e não servem como base para qualquer decisão de investimento. Todos os investimentos envolvem riscos e o desempenho passado não garante resultados ou retornos futuros.

Leave a Reply