20200916 – PODCAST BOM DIA USA: Mercado a espera do FOMC e mais: Boeing, FedEx, Adobe e a última Pequena e Lucrativa

Podcasts
Tempo de leitura: 11 min

E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

 

**ONTEM**

As ações subiram na terça-feira, seguindo o bom desempenho da sessão anterior e com base nos recentes sólidos dados econômicos. Ontem tivemos o Empire State Manufacturing index que veio acima do esperado e uma forte melhora ante agosto. Fora isso tivemos o dado de vendas no varejo na China tb. Isso coloca a China “no caminho para retornar à sua taxa de crescimento anterior ao vírus antes do final do ano. As vendas no varejo ultrapassaram os níveis de 2019 pela primeira vez desde o surto do COVID-19, enquanto o investimento e o crescimento da produção continuaram a se fortalecer no mês passado. https://rb.gy/xdccjn

  • Dow: +0.01%
  • S&P: +0.52%
  • Nasdaq: +1.21%
  • Setores: destaque para o setor de semicondutores, Tecnologia e Biotec. SOXX + 1.7%, XLK +1% e o XBI +0.94%. Destaques para as FANG com FB +2.4%, AMZN 1.7%, NFLX +4.1%, GOOG +1.74%; QCOM +2.75%, NOW +3.5%, ADSK +2.6%, CRM +2%. Na ponta oposta o setor bancário mais uma vez sofreu com o KBE -1.8% e o XLF -1.4%. JPM -3.1%,C -6.9%, BK -3%.
  • Dólar: dólar terminou a sessão em alta de 0,27%, a R$ 5,289. As notícias atribuíram a alta a fala do presidente Jair Bolsonaro através de um vídeo desautorizando mais uma vez a equipe do ministro Paulo Guedes sobre as discussões sobre o Renda Brasil, que substituiria o Bolsa Família.

 

**HOJE**

O otimismo predomina nas principais bolsas mundiais nesta manhã, enquanto os investidores aguardam a conclusão da reunião do Federal Open Market Committee sobre a política monetária nos Estados Unidos.

  • Asia: HK estável e queda de 0.4% na China. Nas demais praças altas moderadas. Japão mostraram queda de 14,8% nas exportações do país em agosto, em comparação com o mesmo mês de 2019. A expectativa era de uma queda de 16,1%.
  • Europa: bolsas em alta moderada com o Stoxx 600 +0.5%
  • Agenda: vendas no varejo as 9h30, estoques de petróleo as 11h30; FOMC as 15hs
  • Futuros: apontam para 0.5% de alta
  • Petróleo: WTI avança 2,46% para US$ 39,22 por barril

 

**DESTAQUES DE ATIVOS**

 

BOEING (BA) https://rb.gy/duzjco

Nada de novo, mas acaba podendo trazer certo peso sobre as ações da empresa. Basicamente o congresso americano encerrou as investigações ou avaliações sobre as quedas do 737 Max que matou centenas de pessoas. Segundo o relatório final: numerosas falhas de projeto, gestão e regulamentação durante o desenvolvimento do 737 Max precederam a “morte evitável” de 346 pessoas em duas quedas. O relatório de 238 páginas do Comitê de Transporte e Infraestrutura da Câmara pintou uma Boeing que priorizava os lucros em relação à segurança e detalhava “questões culturais perturbadoras” relacionadas a pesquisas com funcionários, mostrando “pressão indevida” experimentada enquanto o fabricante corria para terminar o avião para competir com o rival Airbus. O relatório disse que as preocupações com a aeronave não foram suficientemente tratadas para estimular mudanças no projeto. Já por conta desses acontecimentos, foi introduzida uma legislação que visa aumentar a supervisão do setor pela Administração Federal de Aviação. A Boeing respondeu dizendo: “Como empresa, aprendemos muitas lições difíceis com os acidentes do voo Lion Air 610 e do voo 302 da Etiópia, e com os erros que cometemos”. “Como este relatório reconhece, como resultado, fizemos mudanças fundamentais em nossa empresa e continuamos a buscar maneiras de melhorar. Mudar é sempre difícil e requer compromisso diário, mas nós, como empresa, nos dedicamos a fazer o trabalho ”. Ações caíram 0.12% no after e acumulam queda de 50% no ano.

 

FEDEX(FDX)  https://rb.gy/crejho ; https://rb.gy/pf0gnw

As ações da empresa saltaram 8% no after, após a empresa reportar resultados que superaram as estimativas dos analistas para receitas e lucro. A FedEx reportou lucro de US$ 4,87/ação sobre receita de US$ 19,32 bi. Analistas esperavam lucro de US$ 2,69/ação sobre receita de US$ 17,55 bilhões. Eles comentaram: “Demanda sem precedentes por nossos serviços de entrega residencial, rivalizando com nosso tráfego de pico na temporada de férias.” O volume médio diário de pacotes da FedEx disparou de 8,8 milhões no trimestre do ano anterior para 11,6 milhões neste trimestre, um aumento de 31%. A demanda por serviços de entrega comercial também foi muito bem à medida que as empresas continuaram a reabrir. A FedEx não forneceu nenhuma orientação prospectiva, ou seja, guidance…mas olhando a frente eles disseram que um “planejamento detalhado” está em andamento para que a empresa distribua vacinas COVID-19 em escala mundial sempre que estiverem prontas para envio. As ações da empresa acumulam alta de 56% no ano avaliada em 62BI e negociando a uma relação P/L de 35x. Na esteira do bom resultado da Fedex, as ações da UPS também subiram, na esperança de que o boom do comércio eletrônico também esteja beneficiando seus negócios.

 

ADOBE (ADBE) https://rb.gy/crejho ; https://rb.gy/kwdfpj

Ações da empresa subiram mais de 4% no after depois da empresa relatar ganhos e receitas melhores do que o esperado para o terceiro trimestre fiscal. A Adobe reportou lucro por ação de $ 2,57, enquanto analistas esperavam lucro de $ 2,41 por ação. A receita ficou em US $ 3,23 bilhões (+14% YoY), superando as estimativas de US $ 3,16 bilhões. Segundo a empresa o resultado foi beneficiando pelo trabalho e estudos em casa com mais pessoas subscrevendo para usar seus softwares como o Photoshop, digitalização de documentos com assinatura digital inclusive, além de armazenamento desses em nuvem. As ações da empresa sobem 50% com ela avaliada em 238BI!

 

PEQUENAS E LUCRATIVAS?

Lá em junho eu fiz uma série chamada “Desconhecidas e Lucrativas” no qual abordei 11 empresas que muitos não conhecem, que não estão no radar dos investidores. Terça eu comecei uma série com empresas menores de até 10BI de valor de mercado – as pequenas e lucrativas. Ressalva: empresas menores enfrentam mais dificuldades em momentos de crise; além disso o fato de terem sido lucrativas no passado não garantem que serão no futuro.

Manhattan Associates, Inc. (MANH)

O que faz: Está inserida numa indústria super ampla com nomes como SalesForce, Intuit, Autodesk, Zoom, etc, ou seja a indústria de software com aplicações específicas. Manhattan Associates, Inc. desenvolve, vende, implanta, atende e mantém soluções de software para gerenciar cadeias de suprimentos, estoque e operações omni-channel para varejistas, atacadistas, fabricantes, provedores de logística. São softwares de gestão logística, gestão de armazém, planejamento e otimização de estoque. Além disso, a empresa revende hardware de computador, redes de terminais de radiofrequência, leitores de chips de identificação de radiofrequência, impressoras e leitores de código de barras e outros periféricos. Grosso da receita vem de serviços (mais da metade) e a outra parte das licenças de seus softwares, manutenção e subscription. Eles têm 890 clientes e tem como core markets o setor de varejo (home improvment), Bens de consumo, farmacêuticos, indústria pet e até o governo. A empresa atua no mundo todo, mas as Americas respondem por 80% das receitas; foi fundada em 1990 e está sediada em Atlanta, Geórgia ; vale 6.1BI e tem 3500 funcionários.

Números: nos últimos 10 anos receitas saltara de 280MM para mais de 600MM crescendo de forma paulatina ano após ano, mas decaindo nos últimos 3 anos. A queda decorre da transição de um modelo baseado na venda de software para o subscription e hospedagem na nuvem. Num primeiro momento os clientes que compraram o software não trocam… essa transição leva algum tempo. Com isso perceberam uma cerda queda no lucro nos últimos 3 anos; ainda assim vale a ressalva que o lucro saltou 220% em 10 anos. Margem de lucro operacional de 18% e lucro final de 14%; considerando que não é intensiva em capital, ela consegue entregar um ROE e ROI de 60%. Ela tem conseguido manter esses 60% desde 2016. Empresa tem caixa líquido de ~90MM, pode não ser muito, mas mostra que dívida não é problema. Ela se orgulha de não carregar dívida pelos últimos 30 anos. Tem gerado mais de 100MM de fluxo de caixa livre desde 2015.

Ações: ações sobem 19% no ano, mas mais de 100% desde as mínimas de março; alta de 55% em 5 anos e de quase 1200% em 10 anos (vs 170% do S&P). Beta de quase 2x, mostrando que ela chacoalha (característica do setor). Negocia a mais de 60x lucros estimados, então não é nenhuma barganha. Tem 5 analistas que cobrem o papel e apenas 1 sugere venda; o target apontando para um upside potencial de 19%.

https://rb.gy/rhig2g ; https://rb.gy/4tefeb ; https://rb.gy/stzfif ; https://rb.gy/rehzex ; https://rb.gy/8anrsq

 

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer: O conteúdo deste podcast é apenas para fins informativos, não serve como recomendação de compra ou venda de qualquer título na Avenue ou em qualquer outra conta. Ele também não é uma oferta ou venda de um título. Também não são relatórios de pesquisa e não servem como base para qualquer decisão de investimento. Todos os investimentos envolvem riscos e o desempenho passado não garante resultados ou retornos futuros.

Leave a Reply