20200918 – PODCAST BOM DIA USA: Mercado continua desanimado, Snowflake foi o maior IPO do ano nos EUA, Ford apela para o patriotismo

Podcasts
Tempo de leitura: 12 min

 

E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

 

**ONTEM**

Vamos falar do fechamento de ontem? Os mercados entraram em desanimo de novo, após o FED ter resolvido manter as taxas de juros e aumentar o prazo para que elas continuem baixas. Os investidores parecem não ter se animado, com o fato de o FED ter apresentado que realmente a economia americana está se recuperando bem. Parece que todos esperavam um algo a mais vindo do Banco Central Americano.

Soma-se a isso, o presidente Donald Trump batendo de frente com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, ao comentar que já em outubro poderiam ser distribuídas vacinas. O CDC tinha comentado que esse ano a distribuição seriam em quantidades limitadas e não amplamente distribuídas por 6-9 meses.

Além disso, todos de estão à espera de um possível pacote, que até o FED novamente colocou como necessário. O presidente Trump já acenou que poderia apoiar um pacote maior, mas parece que o senado americano não conseguiu chegar a um consenso.

 

  • Dow: -0,5%
  • S&P: -0,8%
  • Nasdaq: -1,3%
  • Setores: Ontem, destaque positivo para: Materiais XLB (+0,77%), que foi a maior alta do dia. Industrial XLI subiu (+0,20%) e Petróleo XLE fechou com leve alta de (+0,16%). Já na ponta negativa, tivemos Bancos XLF com queda de (-1,00%), Utilities XLU com queda de (-0,85%) e tecnologia XLE com queda de (-0,82%). O Facebook (FB) chegou cair (-3,3%) e a Amazon (AMZN) encerrou o dia com queda de (-2,3%).
  • Economia: Os dados divulgados sobre o Licenças de Construção ficaram em 1,4 milhão, abaixo do esperado de 1,5 milhão. Além disso, construção de novas casas também veio pior que o esperado, ficando em 1,41 milhão, abaixo do esperado que era de 1,47 milhão. Para completar, os dados de Seguro Desemprego vieram bons, mas levemente ainda mostrando uma lentidão na recuperação. Tudo isso virá argumento de que um novo pacote de estímulos tem que passar para continuar sustentando a recuperação econômica americana. https://rb.gy/nyurmy
  • Dólar: O dólar fechou no dia de ontem com leve queda, cotado a R$5,23 (-0,14%). Repercutindo a tomada de decisão do BACEN (o Banco Central Brasileiro) em manter as taxas em 2% ao ano, sem novos cortes. No cenário externo, reflete tudo aquilo que eu falei anteriormente, os dados mais lentos da recuperação econômica dos Estados Unidos e um não consenso em relação a um novo pacote de estímulos. https://rb.gy/ug4rcx

 

**HOJE**

  • Ásia: A índice de Xangai, encerrou subindo (+2,07%). No Japão a Nikkei encerrou também positiva, com alta de (+0,18%), as ações do conglomerado SoftBank fecharam com queda de 1,09%, após a empresa anunciar que vai se desfazer de outra participação, agora na companhia de serviços móveis Brightstar.
  • Europa: As ações europeias abriram num tom misto, com investidores de olho nos aumentos de casos em alguns países da Zona do Euro e nos dados econômicos que saíram ao longo da semana. A Euro Stoxx estava praticamente neutra, com leva queda de (-0,01%) as 7:30 da manhã, sendo puxada pelas ações de viagem e lazer, que caiam 3,3%. Já a CAC 40 (bolsa francesa), operava com uma queda maior de (-0,25%) e a DAX (bolsa alemã) subia 0,21%.
  • Futuros: Os futuros dos principais índices americanos amanheceram num tom misto também. Com os futuros do S&P500 subindo leve (+0,06%) e os futuros do Dow Jones caindo leve (-0,12%) as 7:30 da manhã.
  • Agenda: Temos um dia bem tranquilo, apenas confiança do consumidor de Michigan como relevante.

 

**DESTAQUES DE ATIVOS**

SNOWFLAKE (SNOW)

Vamos começar falando da polêmica Snowflake (Cód SNOW), que recentemente abriu seu capital na bolsa e chegou a subir mais de 100% no seu primeiro de negociação. Ontem ela chegou a cair 10%, seguindo a tônica das demais empresas de tecnologia.

Lembrando que hoje as 9:45 do horário de Brasília, eu vou comentar melhor sobre o case dela na sala de análise. Mas falando um pouco dela, essa companhia que teve na sua abertura de capital nada mais e nada menos que o Warren Buffett como principal investidor, além de ter sido ancorada também pelo Diretor Executivo da Salesforce (CRM), Marc Benioff.

A companhia levantou cerca de $3,4 bilhões de dólares, vendeu 28 milhões de ações e foi de longe o maior IPO deste ano nos Estados Unidos.

Mas o que faz a Snowflake exatamente? Ela é outra companhia de nuvem e data. E não é só armazenar, ela oferece engenharia de dados, ciência de dados, desenvolvimento de aplicativos e troca de dados. Mas até aqui, ela parece oferecer as mesmas coisas que outros produtos como o Redshift, da AWS (Amazon) e o BigQuery, da Google. Mais ou menos galera, ela compete com eles, mas ela simplifica todo o processo, porque ela usa inclusive o AWS (Amazon Web Service), Microsoft Azure e o Google Cloud para poder operar os seus serviços

Entretanto, um diferencial dela, é que ela consegue rodar o SQL (que é uma linguagem de pesquisa usada em bancos de dados) em nuvem e o preço do seu serviço vai se adaptando à necessidade de cada cliente.

Fundada em 2012, por dois ex-funcionários da Oracle. Ela hoje é considerada a “nova Oracle” do futuro. Mas e o seu crescimento? Bom, ele tem sido realmente impressionante, digno de uma companhia tech. A companhia já chegou a gerar $400 milhões de dólares em receita nos últimos 12 meses, sendo que em todos os 4 trimestres o crescimento foi mais de 100% no ano contra ano.

Além disso, outro indicador muito utilizado é a taxa de retenção líquida, que mede sua capacidade de reter clientes existentes, ganhar novos e fazer vendas cruzadas de novos serviços, atingiu 158% nos últimos seis meses. Vale ressaltar pessoa, que uma taxa de retenção líquida acima de 100% é considera muito boa, bem acima da média de todo o setor.

Mas como toda boa companhia de tech, a ela não gera lucro e acaba queimando os seus fluxos de caixa em suas operações. Isso acontece porque ela hospeda seus serviços em plataformas de nuvem da AWS e do Azure, sendo que as maiores despesas que ela paga são para o AWS, o que chega a ser irônico porque a ela compete diretamente com ela também e acaba dando uma boa grana para a concorrente.

Se um dia ela vai sair do vermelho e dar lucro? Só o tempo dirá, ela precisa urgentemente diminuir sua dependência com essas plataformas para quem sabe em algum momento dar lucro. Até então, suas receitas crescem a 3 dígitos mas seu prejuízo saiu em 2020 saiu de $178 milhões para $348,5 milhões, uma alta de 95%.

Atualmente a companhia tem um valor de mercado de $63 bilhões de dólares e negocia a 60x a receita dela para 2021, sendo mais cara que o ZOOM (ZM) que foi a queridinha na pandemia e apresentou um resultado fenomenal. https://rb.gy/icn98e

 

FORD (F)

Agora falando Ford (F), ela lançou ontem uma nova campanha antes da acirrada eleição presidencial nos Estados Unidos. O nome da nova campanha vai ser “Buy American” ou “Compre Americano”. A Ford está apostando no orgulho americano para atrair novos clientes.

A companhia disse que vai investir $1,5 bilhão de dólares ao lançar a nova campanha e deve empregar muita gente. Essa campanha vem também em cima da sua principal picape a Ford F-150 da próxima geração. A Ford comentou também que independente de quem seja o presidente ano que vem, ela continua trabalhando em prol dos Estados Unidos.

E gente, a Ford é praticamente um símbolo americano. A própria companhia contratou a Boston Consulting Group para fazer uma análise da contribuição dela para a América e constatou que a sua picape F-Series está entre os maiores produtos consumidos pelos Americanos. Atrás somente do iPhone da Apple, mas na frente de outros produtos como smartphones Android, Disney e todas as principais ligas esportivas.

Inclusive também, em 2019, 75% dos veículos que a Ford vendeu foram montados nos Estados Unidos. Isso que é ter patriotismo. A Ford vendeu quase 159mil veículos durante o segundo trimestre. Um ganho de 3% frente ao mesmo trimestre anterior e um aumento de 78% frente ao primeiro trimestre de 2020, quando ela viu as vendas caíram fortemente por conta do Covid-19. Os veículos comerciais cresceram 61% e os de luxo da marca Lincoln aumentaram em 12%, os SUV`s também não ficaram de fora e cresceram 82% no ano contra ano.

Mesmo com essa melhora, seus lucros continuam fracos e aquém do esperado. A Ford, assim como várias outras montadoras estão enfrentando um momento delicado. Os novos lançamentos da F-150, Bronco e Bronco Sporto e o Mustang elétrico devem trazer alguma melhora de desempenho para os seus resultados.

Vale lembrar que a companhia está passando por uma reestruturação global e os custos dessa reestruturação chegam até $7,0 bilhões de dólares, sendo que até agora ela só pagou cerca de $1,4 bilhão. Além disso, vale repetir que o setor está passando por uma forte competição e uma mudança nos hábitos das pessoas podem continuar levando os carros no geral a ter uma queda de demanda.

A Ford hoje chega a empregar cerca de 190mil funcionários e tem um valor de mercado de aproximadamente $29 bilhões de dólares. https://rb.gy/0ysta8

 

Vou ficando por aqui pessoal, hoje tem sala de análise as 9:45 comigo e as 10:30 com o Bo Williams, e quem quiser me seguir nas redes sociais, o meu instagram é @brenobonani e o twitter é @breno_bonani. Por fim, desejo a todos uma ótima sexta e um ótimo final de semana, forte abraço!

 

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer: O conteúdo deste podcast é apenas para fins informativos, não serve como recomendação de compra ou venda de qualquer título na Avenue ou em qualquer outra conta. Ele também não é uma oferta ou venda de um título. Também não são relatórios de pesquisa e não servem como base para qualquer decisão de investimento. Todos os investimentos envolvem riscos e o desempenho passado não garante resultados ou retornos futuros.

Leave a Reply