20201012 – Tônica da Semana: Brasil o patinho feio e “never bet against america”

A Tônica
Tempo de leitura: 10 min

O PATINHO FEIO

Semana passada comentei que deixamos de ser o canarinho para virar o patinho feio do mercado…pois veja que do dia 24 de setembro os mercados começaram a perceber uma recuperação…no S&P ~7.8%

 

E nos emergentes de forma agregada ~7.89%.

 

Já no Brasil a dinâmica foi meio “peculiar” …. a mínima recente do Ibov se deu alguns dias depois do dia 24 e mesmo desde as mínimas recentes a alta percebida foi quase metade do resto do mundo … uma performance digna de patinho feio.

 

Quando colocamos a performance dolarizada do IBOV temos uma noção ainda melhor disso…obviamente parta superrelevante desse movimento foi o câmbio….mas no mínimo chama atenção!

 

OS MESMOS PROBLEMAS

E o que explica isso? A música dos “Garotos da Rua” ajuda a entender:

Lá em casa continuam
Os mesmos problemas
Lá em casa continuam
Me perturbando
Lá em casa continuam
Me enchendo o saco

Sim continuamos com os mesmos problemas! Quando o atual governo se elegeu só se falava da necessidade de uma reforma da previdência que nos ajudasse a sair de um crescimento perigoso do gasto público no futuro. Problema é que o fantasma fiscal segue nos assombrando! Compartilhei esses 2 gráficos semana passada, mas eles ajudam a entender:

 

Apesar da reforma da previdência, tivemos um corona que abriu a porta para mais gastos…essa semana que passou a Carta da Verde Asset chamou atenção disso….a leitura do gráfico seria a seguinte: somos endividados e irresponsáveis? É o que parece…apesar do endividamento alto resolvemos gastar…

Imagem

 

O problema de tudo isso é que transparece para o mercado um certo flerte com a irresponsabilidade! Comentários e declarações de uma possibilidade de contabilidade criativa ou de um furo de teto servem para uma coisa: puxar os juros futuros para cima o que acaba batendo na bolsa.

 

Não sei quantos de vocês acompanham o mercado em bases diárias, mas é isso que explica vermos movimentos bem extremos no mercado de DI (juros)…aparentemente “do nada” vemos os DIs dispararem …. é a ideia da porta estreita … com muitos fundos posicionados nisso, uma mudança de humor ou de cabeça acaba gerando correria … como juros e bolsa se relacionam, em dias como esses a bolsa sofre. Mas o cerne desses movimentos acontecem de fato na percepção dos agentes com a solvência e responsabilidade fiscal do país.

Quando vamos ver isso mudar? 

Talvez  nunca…faz parte de quem somos…como nação ainda com um contingente muito grande de pobres as ideias populistas de uso do tal dinheiro público sempre acabam retornando. Mas tenho fé que um dia veremos ao invés de um “Renda Cidadã” um “Redução de gatos do governo cidadã”. Ps: não sou contra o programa social.

 

APESAR DOS PESARES…

Mas do lado da economia sigo vendo numeros e indicadores que apotam para uma melhora…mais lenta no importante setor de serviços é verdade, mas ainda assim uma recuperação. Veja que o BofA recentemente revisou sua projeção de PIB de -4.9% no ano para -4%, comentando inclusive que vê PIB positivo no 3T!

 

Sim parte dessa recuperação se deve ao subsidio dado pelo governo…a renda extra que entrou e movimentou especialmente o varejo… mas o setor de serviços que emprega muita gente parece começar a se mexer também de acordo como o último dado da Markit (fonte).

O que penso:

Na economia temos mostrado melhora…mas na questão fiscal/populistmo/política não há o que dizer…somos essa confusão aí…apesar dos pesares sigo otimista…calcado na recuperação externa dos mercados e na melhora dos dados econômicos. Bolsa brasileira ficou exageradamente para trás… vejo coisas realmente muito baratas e atrasadas em relação ao resto do mundo. Acho a queda do Real igualmente exagerada frente o dólar. Nos juros já deu pra ver que Selic não tende a ficar no patamar que está por muito tempo…a menos que arrumemos a casa.   

 

NOS EUA

Aqui na América vivemos o clima de campanha. Isso tem tomado conta do noticiário, dia a dia e consequentemete do mercado! Muito se fala de uma “carteira para vitória do Biden” ou uma “carteira Trump” … não sou muito fã dessas ideias … elas servem mais para quem gosta de especular, ou uma aposta de curto prazo … penso que na prática você deve ter uma carteira balanceada independemente de quem ganhar….até porque as promessas de campanha nem sempre se tornam realidade. Ainda assim o Eliseu fez algo nesse sentido para quem tiver interesse: Impactos das eleições americanas, setores ganhadores.

Veja que interessante esse gráfico das apostas na eleição de Trump….Uma dinâmica igual a que vimos em 2016 quando ele surpreendeu a todos e acabou eleito! (gráfico lá do meu Twitter).

Imagem

 

O que isso quer dizer? 

A meu ver, apenas uma coisa: que a eleição está totalmente aberta!

Fora isso, nunca sabemos de fato qual impacto do mandato sobre determinados setores e empresas… campanhas de promessa são diferentes de realidade!

Hoje muito se fala (eu mesmo já comentei isso) sobre o possível impacto sobre a tributação advindo de uma vitória de Joe Biden … mas veja que interessante esse estudo do JP Morgan que mostra que se os democratas consiguirem um “sweep” vencendo câmara e senado e, consequentemente, tendo caminho mais aberto para mudança de tributação aumentando os impostos sobre ganhos de capital, é improvável que isso cause mais do que apenas uma uma queda temporária no mercado de ações dos EUA. Eles trazem como exemplos 1987 e 2013, quando aumento de impostos sobre ganhos de capital foram superados passado algumas semanas…normalmente o mercado obviamente antecipa …mesmo assim não se poderia dizer ou estimar um efeito prolongado. Segundo o estrategista do JP, Mr. Nikolaos Panigirtzoglou:

“Longer term, we see little impact from a prospective capital gains tax rate increase on risk taking and investors’ attitude toward equities as an asset class, given the current low yield and high equity risk-premium environment,” (fonte)

relates to JPMorgan Says U.S. Capital Gains Tax Hike May Briefly Hit Stocks

 

Já temos visto uma recuperação no mercado americano (tal qual mostrei no início dessa tônica) e isso mesmo considerando que o fluxo para investimento em ações tende a ser menor em anos eleitorais…dá uma olhada no gráfico abaixo que compara o fluxo em anos eleitorais desde 2004 (fonte)….2020 em tese tem sido ainda pior… mas passado a eleição teremos novas máximas?

Imagem

 

No mais seguimos envoltos nas discussões sobre ter ou não ter um novo pacote de estímulos a economia…com eleição se aproximando, eu sigo achando pouco provável que algo saia antes do dia 3 de novembro.

Mas segundo o Morgan Stanley, os americanos (cidadãos) estã com um bom colchão de liquidez…algo como $ 1.1 Trilhão nas contas deles.

 

Dinheiro esse que pode ajudar na recuperação da economia com ou sem pacote! Abaixo gráfico publicado no Wall Street Journal a respeito disso. O que fica é a estimativa de melhora para o PIB do próximo trimestre com ou sem estímulos.

 

E corroborando a isso o mercado de trabalho segue melhrando…mostrando uma evolução saudável com a redução do nível de desemprego.

 

Enfim coisas seguem bem por aqui…não por acaso o mercado de ações seguem uma toada de recuperação após o estresse recente advindo dos derivativos…o qual comentei aqui lembram?

Never Bet Against America? 

Warren Buffett: 'Don't bet against America'

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer Os relatórios e/ou em qualquer conteúdo de análise e recomendação providos pelo Bugg possuem caráter meramente informativo e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o usuário a tomar sua própria decisão de investimento, não devendo ser considerado como uma oferta para compra ou venda de ativos. Os editores responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos da Instrução CVM nº 598/18,que as recomendações do relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradasde forma independente. Além disso, os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento,a situação financeira ou as necessidades específicas de um determinado investidor. A decisão final em relação aos investimentos deve ser tomada por cada investidor, levando em consideração os vários riscos,tarifas e comissões.

6 comments

Leave a Reply