20201027 – PODCAST BOM DIA USA: Mercado em leve recuperação. Hasbro decepciona, AMD faz aquisição Bilionária e comentários de Twilio e BP

Podcasts
Tempo de leitura: 12 min

E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

 

**ONTEM**

As ações dos Estados Unidos caíam de forma mais acentuada ontem, com o aumento de casos de coronavírus e o impasse em Washington sobre o próximo projeto de ajuda fiscal, num cenário de eleições presidenciais de 3 de novembro. Sobre o corona além do recorde diário de mais de 83 mil casos na sexta e domingo, a cidade de El Paso, no Texas, pediu aos cidadãos que permaneçam em casa nas próximas duas semanas. Em termos de economia, o dado de vendas de casas novas também decepcionou mostrando contração de 3.5% ante alta esperada de 2.8%.

  • Dow: -2.29%
  • S&P: -1.86%
  • Nasdaq: -1.64%
  • Setores: todos setores em queda. XOP e XLE foram os que mais sofreram com quedas de 5.3% e 3.6% respectivamente, resultado da queda de 3% do petróleo. ITB das construtoras também não foi bem caindo 3.7%. Mas vimos quedas generalizadas: Tecnologia (XLK -2.2%), Materiais Básicos (XLB – 2.5%), Industrials (XLI – 2.5%)…quem menos caiu foi o setor de Utilities (XLU -0.03%). Os destaques de quedas ficaram pelos papéis das empresas de cruzeiros e cassinos com a RCL -9.7%, CCL -8.7%, NCLH -8.5%. Na ponta oposta a ED (Edison) com +1.4% e a AEP (American Eletric Power) +1.9%.
  • Dólar: O dólar fechou em queda nesta segunda-feira (26), numa sessão marcada pela instabilidade, refletindo a cautela generalizada dos mercados globais. A moeda norte-americana caiu 0,28%, vendida a R$ 5,6151.

 

**HOJE**

  • Ásia: Bolsas a maioria em queda, exceção feita a bolsa da China que subiu 0.1% e a Índia com alta de 0.9%
  • Europa: A Europa volta a despontar como epicentro da pandemia. Na segunda-feira, a chanceler alemã Angela Merkel afirmou que a situação é ameaçadora. Na Itália, parte da população protestou contra novas restrições, que incluem o fechamento de bares e restaurantes às 18h. E na região de Paris, pacientes com covid-19 já representam 67% das internações em leitos de tratamento intensivo. Por outro lado, os resultados de empresas importantes animaram investidores. As ações da HSBC Holdings tiveram alta de mais de 5% após o banco apresentar lucro de US$ 2 bilhões no terceiro trimestre. O Santander também teve desempenho acima do esperado, assim como as ações da BP, de petróleo.
  • Futuros: apontam para uma leve alta de olho nos resutados. Dow +0.14%, S&P +0.24%, Nasdaq +0.38%
  • Agenda: Pedidos de bens duráveis as 9h30; confiança do consumidor as 11hs
  • Resultados: temos as farmacêuticas, Pfeizer, Merck, Novartis, Eli Lilly; ainda antes da abertura tem a Caterpillar, Raytheon, Sherwin-Williams (loja de tintas), 3M e S&P Global. Depois do fechamento temos Microsoft e AMD.

 

**DESTAQUES DE ATIVOS**

HASBRO (HAS)

A fabricante de brinquedos Hasbro (HAS), divulgou seus resultados ontem referente ao terceiro trimestre de 2020. Porém, mesmo batendo as estimativas em alguns pontos, a companhia fechou com queda de (-9,3%). A companhia entregou $1,7 bilhão receita, queda de 4% no ano contra ano, porém, acima das estimativas. Além disso, a parte de e-commerce dela cresceu 50% no trimestre. Todavia, isso não foi o suficiente para animar o mercado, que deu mais atenção a queda de 28% no segmento de tv/filme/entretenimento dela. Olhando para o resultado por região, na parte internacional, todos tiveram queda de receita, sendo que a queda mais acentuada (-40%) foi na América Latina. A companhia comentou que espera que as vendas do natal, impulsionem suas receitas. Ainda comentou, que está focando em brinquedos e jogos digitais para o próximo trimestre, já que esse segmento foi um dos vencedores neste último. Entretanto, a fabricante não deu nenhum guidance (projeção) para o seu resultado futuro. Para quem não conhece a Hasbro, ela é uma empresa que fabrica e vende brinquedos, bonecos e jogos. Ela é dona de marcas bastante conhecidas como Monopoly, Jenga, Game of Life (o famoso jogo da vida), além de ter marcas parceiras como Marvel, Starwars e franquias como NERF, Magic e MyLittlePony, dentre vários outros jogos dentro do seu portóflio. Fundada em 1923 e com sede em Rhode Island. Ela atual praticamente no mundo todo e chega a empregar 5600 colaboradores. Seu valor de mercado é de aproximadamente $11,4 bilhões e suas ações caem 21% no ano. https://rb.gy/uh0xgu

 

TWILIO (TWLO)

Agora vamos falar da Twilio (TWLO), uma companhia de nuvem também, já comentamos dela em outro podcast da nossa serie. Suas ações caíram (-1,79%) no dia de ontem, mesmo após a companhia apresentar um resultado acima do esperado pelo mercado. Ela reportou uma receita de $448 milhões, com alta de 52% no ano contra ano e batendo as estimativas. A receita da companhia vem crescendo de forma ininterrupta desde o 3T18. Só neste trimestre, ela contou com 208mil usuários ativos usando os seus serviços, 4% acima do 2T20 e 21% maior no ano contra ano. A empresa disse também, que está se beneficiando com o aumento de trabalho e de educação remotos. A taxa de retenção líquida, que mede sua capacidade de reter clientes existentes, ganhar novos e fazer vendas cruzadas de novos serviços, ficou em 137% ante 132% no mesmo período do ano passado. Vale ressaltar pessoal, que uma taxa de retenção líquida acima de 100% é considera muito boa, bem acima da média de todo o setor. Ela reportou um lucro por ação de $0,04 cents, acima do esperado que era um prejuízo de $0,03 cents. Mesmo assim, a companhia deu um guidance (uma projeção) mais ou menos em relação do que pode ser o seu quarto trimestre, com receita podendo bater as estimativas, mas o lucro por ação estaria abaixo do consenso do mercado. Para quem não conhece a Twilio, ela é uma empresa que possui uma plataforma onde desenvolvedores podem criar e operar aplicativos de comunicação, podendo usar para se comunicar com outros usuários, através de mensagens de textos, áudios e fotos, mas com uma integração via nuvem. Fundada em 2008 na Califórnia. Ela emprega cerca de 3664 colaboradores e em 2019, entregou cerca de $1,1 bilhão de dólares em receitas anuais. Atualmente, seu valor de mercado é de aproximadamente $43 bilhões e suas ações sobem 205% no ano. https://rb.gy/kb7sx4

 

British Petroleum (BP)

A gigante inglesa reportou um pequeno lucro de US$ 100MM mas que ficou acima do esperado pelo mercado (prejuízo de $347MM) e bem melhor que os $6.7BI de prejuízo reportado no trimestre anterior. O que explica essa diferença entre os 2 trimestre foi uma melhora na demanda e preços de petróleo, mas principalmente a ausência dos write-offs – reavaliação de ativos a uma nova realidade de mercado que gerou o prejuízo bilionário do trimestre anterior. O CEO da empresa falou que “Tendo estabelecido sua nova estratégia, a prioridade agora é a execução e que eles estão fazendo isso”. Bernard Looney falou que a empresa esta “firmemente focada” na disciplina de capital e comprometida com sua estrutura financeira e o pagamento de dividendos – anunciaram um dividendo de $0.315/ADS (yield de 2%). A empresa segue também comprometida com sua mudança e migração para ser uma empresa com atuação em energia limpa e alcançar zero carbono líquido até 2050 ou antes. A BP planeja em 10 anos, planejava aumentar em 10x seu investimento anual de baixo carbono, para cerca de US$ 5 bilhões por ano. Também pretende desenvolver cerca de 50 gigawatts de capacidade de geração renovável líquida até 2030 – um aumento de 20x em relação a 2019. Ações da empresa caem 58% no ano com a cia avaliada em $53.4BI.

 

AMD (AMD)

Saiu agora pela manhã o resultado da empresa e a notícia de que ela chegou a um acordo para comprar a Xilinx (XLXN) por $35BI – as ações da Xilinx já sobem 10% no after. O negócio, que a AMD espera fechar no final de 2021, criaria uma empresa combinada com 13.000 engenheiros e uma estratégia de fabricação totalmente terceirizada que depende fortemente da Taiwan Semiconductor Manufacturing. As duas empresas americanas se beneficiaram de uma maior agilidade para abocanhar participação de mercado da Intel, que tem lutado com a fabricação interna. Desde que a executiva-chefe Lisa Su assumiu a AMD em 2014, ela tem se concentrado em desafiar a Intel no negócio de rápido crescimento de data centers, serviços baseados na Internet, inteligência artificial e redes de telecomunicações de quinta geração. Xilinx também tem trabalhado para penetrar centros de dados com processadores programáveis que ajudam a acelerar tarefas especificas, como compactar vídeos ou fornecer criptografia digital. Seu principal rival na área, Altera, foi comprada pela Intel por US$ 16,7 bilhões em 2015 no que foi o maior negócio da Intel de todos os tempos. Espera-se que essa aquisição gere $300MM de sinergias e economias de escala com redução de custos. Repercutindo a aquisição as ações da AMD caem 4%. Alguns entendem que a aquisição, bastante grande, pode dragar os esforços e atenção da empresa para integração nos processos produtivos e de desenvolvimento de chips e atrapalhar seu crescimento no curto prazo – aliás essa é uma leitura bem curto-prazista. A AMD reportou seu resultado agora pela manhã. Ela relatou receita e lucro ajustado de US$ 2,80 bilhões e $0.41/ação, superando as expectativas de Wall Street de US$ 2,57 bilhões e $0.36/ação. No ano as ações da AMD sobem 79% com a empresa avaliada em 96.5BI

 

 

 

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer: O conteúdo deste podcast é apenas para fins informativos, não serve como recomendação de compra ou venda de qualquer título na Avenue ou em qualquer outra conta. Ele também não é uma oferta ou venda de um título. Também não são relatórios de pesquisa e não servem como base para qualquer decisão de investimento. Todos os investimentos envolvem riscos e o desempenho passado não garante resultados ou retornos futuros.

Leave a Reply