20201130 – PODCAST BOM DIA USA: Mercados voltam para o modo cautela, Vacinas, Janet Yellen, Black Friday e Economia do Futuro

Podcasts, Uncategorized
Tempo de leitura: 14 min
E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

 

**ONTEM**

Vamos falar do fechamento de sexta! Na sexta, os mercados americanos encerraram mais cedo devido ao dia de ação de graças por lá. Mesmo em um dia em que deveria ter menos agentes e investidores atuando no mercado, os índices bateram novas máximas, repercutindo as notícias de uma transição mais calma entre os presidentes e as novas indicações que agradaram o mercado, como a da Janet Yellen, para secretária do tesouro americano.

 

 

  • Dow: +0,10%
  • S&P: +0,30%
  • Nasdaq: +0,90%
  • Setores: Na sexta, destaque para os setores: Biotechs XBI com alta de (+3,62%), Materiais XLB com alta de (+0,55%) e Tecnologia XLK com leve alta de (+0,52%). Já na ponta negativa, a gente teve Petróleo XLE com queda de (-1,22%) e Utilities XLU com queda de (-0,98%).
  • Economia: No último dia da semana passada, a gente não teve nenhum dado relevante.
  • Dólar: Na sexta, o dólar encerrou o dia em leve queda, cotado a R$5,32 (-0,32%). No cenário externo, repercutiu o clima mais otimista de transição entre os presidentes americanos e a possível retomada das conversas de um pacote de estímulo para os Estados Unidos. No cenário interno, prevaleceu as dúvidas em relação ao fiscal brasileiro, porém, dados sobre a confiança da indústria cresceram pelo sétimo mês consecutivo em novembro e atingiu o maior patamar desde 2010, o que ajudou a segurar o otimismo no Brasil. https://rb.gy/wpnd7g

 

**HOJE**

  • Ásia: No continente asiático, as ações operaram em queda durante a sessão dessa madrugada, mesmo com a divulgação do PMI chinês vindo bom, em 52,1, indicando expansão do setor manufatureiro. O índice de Shangai caiu (-0,49%), enquanto no Japão, a Nikkei recuou (-0,79%), mesmo com as vendas do comércio também aumentando 6,4% ano a ano em outubro.
  • Europa: Na Zona do Euro, as ações abrem em um misto também, diminuindo o tom otimista em relação as vacinas e a transição mais pacíficas dos presidentes americanos e se voltando para o Reino Unido com a União Europeia e como ficará o acordo pós-Brexit. A Euro Stoxx caia leve (-0,05%) hoje as 7:00h da manhã no horário de Brasília, com as ações de petróleo e gás liderando as quedas, caindo (-2,3%). A CAC 40 (índice francês) caia leve (-0,19%), já a DAX (índice alemão) e a FTSE100 (Inglaterra), subiam (+0,27%) e (+0,18%), respectivamente.
  • Futuros: Os principais índices futuros americanos amanheceram em queda, com o futuro do S&P 500 caindo (-0,41%) e o futuro do Dow Jones caindo (-0,55%), hoje também as 7:00h da manhã.
  • Agenda: Hoje a gente tem PMI de Chicago e Vendas de Casas Pendentes nos Estados Unidos.

 

 

**DESTAQUES DE ATIVOS**

VACINAS

Recentemente a companhia Astrazeneca (AZN) começou a sofrer questionamentos em relação aos seus testes por vários especialistas americanos e inclusive até o chefe de operação Warp Speed da Casa Branca, Moncef Slaoui.

Eles argumentam que os testes foram feitos em grupos de menor risco, com menos de 55 anos e por isso, tinha apresentado uma eficácia de 90%. Diferente de outras empresas que testaram em pessoas com idade mais avançada e conseguiram um bom resultado.

O governo da Grã Bretanha já partiu para a defesa, com os ministros britânicos já defendendo e apoiando tanto a companhia como a parceria com a Universidade de Oxford para o desenvolvimento da vacina.

O ministro da Habitação, Robert Jenrick, se tornou o último de uma linha de comentários sobre a vacina, que demonstrou ter uma eficácia média de 70% na prevenção do vírus.

Segundo ele, “Não acho que haja motivo para preocupação indevida”. Ainda comentou que “Agora escrevemos ao órgão que avaliará de forma independente a veracidade e a segurança da vacina.”

A companhia respondeu destacando o acompanhamento do estudo por parte do Data Safety Monitoring Board (DSMB) externo e o fato de os dados divulgados na segunda-feira constituírem meros resultados intercalares e de que mais dados viriam.

Ela enfatizou que os “padrões mais elevados” foram usados ​​e que “análises adicionais serão conduzidas”.

Essa vacina em particular é vista como crucial para os mercados emergentes devido à sua relativa facilidade de fabricação e transporte e seu baixo custo em comparação com os concorrentes potenciais.

 

JENET YELLEN PARA SECRETÁRIA DO TESOURO

O presidente eleito Joe Biden, já fez algumas indicações para alguns cargos. O mais recente e relevante, foi a indicação da Janet Yellen, ex-presidente do Federal Reserve (Banco Central Americano), para secretária do tesouro americano.

Ela ainda precisa ser confirmada pelo senado, que tem maioria opositora, mas caso aconteça, ela seria a primeira mulher a liderar esse departamento.

Porém, pode ser que o senado aprove essa indicação. Uma vez que não foi uma indicação tão política, mas sim, técnica. Seu mandato de quatro anos no comando do FED, marcado por uma melhora no mercado de trabalho e taxas de juros historicamente baixas, também pode aumentar suas chances de confirmação.

Ela tem caráter bipartidário, o que seria bom para tentar atender as duas casas do país sem muito estresse. Yellen é atualmente economista do Brookings Institute. Antes de se tornar presidente do FED, ela estava à frente do Banco da Reserva Federal de São Francisco e foi o 18º presidente do Conselho de Consultores Econômicos durante o governo Clinton.

 

BLACK FRIDAY, BLACK WEEK e COMEÇO DA CYBER MONDAY

A Black Friday parece desanimadora para algumas companhias, como lojas físicas de varejo e shoppings este ano, já que muitos clientes continuam fazendo suas compras online via site ou aplicativos.

Uma cena que muitos ficaram atentos, são as faltas de filas, estacionamentos vazios e mais funcionários nas lojas do que clientes. Até mesmo o Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) aconselharam os consumidores a fazerem compras online na Black Friday, a usar a coleta na calçada.

Parece que os consumidores se adaptaram rapidamente e quem é mais forte no e-commerce tende a se beneficiar ainda mais do melhor trimestre para o varejo. Segundo a Adobe (ADBE), as compras via aplicativos ou “shoppings online” neste ano, irão crescer 55% no ano contra ano.

Além disso, hoje entramos em outro momento de boas promoções, que é a Cyber Monday. Segundo a pesquisa da Adobe ainda, é de se esperar que os fretes grátis se intensifiquem. É esperado que somente na Cyber Monday, as vendas ultrapassem $12 bilhões de dólares, o que indicaria um aumento de 35% no ano contra ano. Para quem não sabe, a Cyber Monday é uma data famosa nos Estados Unidos que acontece sempre na segunda-feira após o dia de ação de graças e logo depois da Black Friday, no qual vários varejistas online fazem mais descontos para seus produtos.

Algumas companhias foram vistas vazias, como a Bed Beth and Beyond (BBBY), outras como Victoria Secret`s (LB) e Lululemon (LULU) já foram vistas com alguma movimentação melhor. Porém, quem parece ter se beneficiado muito foi o Walmart (WMT), Amazon (AMZN), Home Depot (HD), Etsy (ETSY), entre outras com foco no varejo online. Então, vale a pena dar uma estudada com carinho nessas varejistas com maior foco em vendas online.

 

ECONOMIA DO FUTURO: AMAZON (AMZN)

Voltando para a serie de economia do futuro, já que a temporada de resultados chegou ao fim. Vou falar da Amazon (AMZN). A Amazon foi criada em 1994, quando Jeff Bezos (atual CEO) com 30 anos de idade, deixou o emprego como vice-presidente de uma empresa de serviços financeiros em Wall Street. Bezos na época estava obcecado pela ideia de vender na internet e o tamanho das oportunidades que esse novo espaço iria trazer.

Em 15 de maio de 1997 a companhia abriu seu capital a $18 dólares por ação. Assim nasceu uma das maiores empresas do séc. XXI. Apesar do que se pensa, ela nem sempre foi uma companhia que entregou resultado. Logo no início teve dificuldades de encontrar um ponto de equilíbrio no seu modelo de negócios, além de lutar para ter mais escala. Até 2002 ela dava prejuízo, isso mesmo, prejuízo. Porém suas receitas cresciam a passos largos.

Pulando alguns anos e já relembrando um pouco de como foi o último resultado. No terceiro trimestre 2020 ela bateu as estimativas do mercado e foi muito beneficiada por conta da pandemia. Seu segmento de Cloud, o AWS, entregou um resultado muito forte.

Ela entregou uma receita de $96 bilhões, acima das estimativas e com crescimento de 37%, batendo as estimativas dos analistas. Seu segmento de Cloud (nuvem) entregou um crescimento 29% no trimestre, já que a demanda por serviços como Slack e Zoom, que dependem dele, continuaram muito em alta.

O AWS continua comandando o setor de infraestrutura em nuvem, com mais de 45% de Market Share, bem na frente de outros provedores como Microsoft Azure e Google Cloud. Muitos começaram a dar mais valor para nuvem depois da pandemia, muitas empresas procurando cortar custos, procuraram por esse serviço, tentando otimizar o trabalho remoto. Vale lembrar que hoje 12% da receita total da Amazon vem do AWS, o seu serviço de nuvem.

A companhia divulgou um lucro por ação de $12,37 dólares ante uma estimativa de $7,41 dólares, um crescimento de 192% frente ao 3T19. Ela gerou um fluxo de caixa livre de $29,5 bilhões, com alta de 25,5% em comparação ao mesmo período anterior.

A Amazon foi uma das poucas companhias que foi duplamente beneficiada pela pandemia, primeiro porque o AWS (nuvem) está sendo bastante requisitado ainda por diversas outras empresas e em segundo, que ela tem um varejo online a disposição. Logo, muito clientes passaram ou a assinar o prime para obter os benefícios de ofertas e entregas mais rápida ou a simplesmente comprar na plataforma dela.

Os custos aumentaram também, já que ela começou a ter mais demanda por envios. Os custos e despesas aumentaram em 57% neste trimestre. Porém, ela foi uma das poucas companhias que continuou ou intensificou as contratações durante a pandemia.

Agora ela conta com 1,12 milhão de funcionários a mais ao redor do mundo, um aumento de 50% no ano contra ano. Sua receita vem de publicidade, varejo online e do AWS seu serviço de nuvem. Fica difícil não enxergar ela no futuro já pelos segmentos que ela atua, como nuvem e varejo online. Aí de repente, fica mais difícil ainda nos segmentos que ela está começando a atuar, como supermercados com a compra do WholeFoods e a idealização da Amazon Go, jogos online com seu estúdio, com a compra da twitch (a maior plataforma de streaming de jogos do mundo) e o lançamento da Luna (uma plataforma para competir com o Stadia da Google) e agora Farmácias, com a recente Denominada de Amazon Pharmacy, onde ela disponibiliza venda de remédios pré-escritos online utilizando os serviços da Pillpack (que ela adquiriu em 2018). Então, de novo pessoal, olha o tanto de lugar que ela já atua e o tanto que ela ainda pode atuar, quem sabe esportes não seja o próximo foco da companhia? De fato, ela merece atenção pelo histórico e pela entrega de resultado. Atualmente, a Amazon tem um valor de mercado de aproximadamente $1,6 trilhão de dólares. https://rb.gy/srnjph

 

Vou ficando por aqui pessoal, hoje tem sala de análise as 9:30 com William Castro. E as 10:15 com o Bo Williams, passando em vários gráficos. Quem quiser me seguir nas redes sociais, o meu instagram é @brenobonani e o twitter é @breno_bonani. E quem quiser seguir o William no twitter ou instagram é @willcastroalves. Por fim, desejo a todos um excelente dia e um ótimo começo de semana! Forte abraço!!

Leave a Reply