20201228 – PODCAST BOM DIA USA: O que esperar para 2021 – Episódio 2

Podcasts
Tempo de leitura: 15 min
E para quem gosta de ler, aí está a transcrição do podcast. Esse é um podcast destinado aos clientes da Avenue. O texto aqui é apenas uma transcrição e Tais comentários não devem ser visto como qualquer tipo de recomendação de investimentos. 

**ONTEM**

Vamos falar do fechamento de quinta-feira! Os mercados americanos encerraram o dia em alta, após o mercado digerir que o pacote de estímulos veio antes tarde do que nunca. Além disso, a gente teve a China anunciando mais estímulos para suportar os pequenos negócios por lá.

 

  • Dow: +0,23%
  • S&P: +0,35%
  • Nasdaq: +0,00%
  • Setores: Na quinta, destaque positivo para: Utilities XLU com alta de (+0,67%) e Tecnologia XLK com alta de (+0,66%). Já na ponta negativa, a gente teve Biotechs XBI com queda de (-0,82%) e Petróleo XLE com queda de (-0,63%).
  • Economia: No último dia antes do Natal, a gente não teve nenhum dado relevante.
  • Dólar: Na quinta-feira, não tivemos negociação do dólar também. Como no dia 24 é um período véspera de Natal, as bolsas também negociaram em um período mais curto, fechando as 13hrs no horário do Brasil.

 

**HOJE**

  • Ásia: No continente asiático, as ações operaram a madrugada em leve alta. O índice de Shangai fechou com leve alta de (+0,02%), enquanto no Japão, a Nikkei fechou com alta de (+0,74%).
  • Europa: Na Zona do Euro, as ações abrem em alta repercutindo a sanção do presidente Trump no projeto de lei de alívio para o Covid-19. A Euro Stoxx abriu com de (+1,06%) hoje as 7:30h da manhã no horário de Brasília. A CAC40 (índice francês) subia (+1,04%) e a DAX (índice alemão) subia (+1,56%).
  • Futuros: Os principais índices futuros americanos amanheceram em alta, com o futuro do S&P 500 subindo (+0,62%) e o futuro do Dow Jones subindo (+0,47%). Hoje as 7:30h da manhã também.
  • Agenda: Hoje a gente não tem nenhum dado relevante para comentar. Mas fiquem de olho na terça que tem PIB americano e vendas de casas usadas. Assim como na quarta, último dia antes do ano novo, nós temos Pedidos de Seguro Desemprego para testar mais uma vez o mercado de trabalho americano.

 

 

**DESTAQUES DE ATIVOS*

 

O QUE INVESTIR EM 2021: VAMOS FALAR DE ESG?

Hoje eu vou começar diferente. Aproveitando o gancho que o Tio Will levantou no último podcast, vou continuar comentando o que seria interessante olhar para 2021 quando o assunto é investimentos. E muitos provavelmente já devem até ouvido falar do tal ESG. Mas afinal, para quem nunca ouviu ou até mesmo quem já, o que é esse ESG?

O Environmental, Social and Corporate Governance refere-se aos três fatores centrais na medição da sustentabilidade e do impacto social de um investimento em uma empresa ou negócio. Investimento ESG é um termo frequentemente usado como sinônimo de investimento sustentável, investimento socialmente responsável.

A pandemia acelerou a migração para um mundo mais local e resiliente, o que pode favorecer os líderes ambientais, sociais e de governança (ESG) que já tomaram medidas para reduzir sua pegada ambiental e fortalecer relacionamentos na cadeia de suprimentos.

A melhoria dos dados de ESG é sinal de que os investidores podem personalizar cada vez mais as carteiras, concentrando se nas exposições temáticas que correspondam às suas preferências de sustentabilidade. empresas que aderiram abertamente à diversidade e ao trabalho remoto, têm mais chances de aumentar a retenção de funcionários e atrair talentos em um mundo pós-pandêmico.

Vamos ao pouco de história desse segmento. A prática de investimento ESG começou na década de 1960 como um investimento socialmente responsável, com os investidores excluindo ações ou indústrias inteiras de suas carteiras com base em atividades comerciais como a produção de tabaco ou envolvimento no regime de apartheid sul

Hoje, as considerações éticas e o alinhamento com os valores continuam sendo motivações comuns de muitos investidores ESG, mas o campo está crescendo e evoluindo rapidamente, à medida que muitos investidores procuram incorporar fatores ESG ao processo de investimento junto com a análise financeira tradicional.

Mas fica a pergunta, por que esse segmento tem crescido?

O mundo está mudando: Desafios de sustentabilidade global, como risco de inundação e aumento do nível do mar, privacidade e segurança de dados, mudanças demográficas e pressões regulatórias, estão introduzindo novos fatores de risco para os investidores que podem não ter sido vistos anteriormente. À medida que as empresas enfrentam uma complexidade crescente em escala global, o investidor moderno pode reavaliar as abordagens tradicionais de investimento.

Os investidores estão mudando: Nas próximas duas a três décadas, a geração do milênio poderia colocar entre US $ 15 trilhões e US $ 20 trilhões em investimentos ESG domiciliados nos EUA, o que quase dobraria o tamanho do mercado de ações dos EUA. Um número crescente de estudos sugere que a geração Millennial – assim como as mulheres – está pedindo mais de seus investimentos. Sabiam que 67% da geração Millennial acredita que investir é uma forma de expressar valor social, político e ambiental? 90% da última geração ainda quer aumentar seus investimentos em companhias responsáveis nos próximos 5 anos.

Dados e Análises estão evoluindo: Com melhores dados de empresas, combinados, com melhores recursos de pesquisa e análise ESG, estamos vendo abordagens mais sistemáticas, quantitativas, objetivas e financeiramente relevantes para as questões-chave ESG. Dados e análises melhores abriram caminho para vários estudos que exploram os investimentos em ESG.

O MSCI ESG Research, por exemplo, fornece pesquisas e classificações de mais de 13.000 emissores de ações e renda fixa vinculados a mais de 590.000 ações e títulos de renda fixa em uma escala de ‘AAA’ a ‘CCC’ de acordo com sua exposição a riscos ESG específicos do setor e sua capacidade de gerenciar esses riscos em relação aos pares. O MSCI ESG Ratings foi desenvolvido para ajudar os investidores a identificar riscos e oportunidades ESG.

Agora que entendemos por que o ESG tem crescido nos últimos anos. Vamos a um último questionamento muito comum. Investir em companhias ESG prejudica a rentabilidade do seu portfólio?

Um debate comum com os investimentos ESG gira em torno da ideia de que incorporar fatores ESG ao processo de investimento prejudicará o desempenho. No entanto, alguns estudos sugerem que as empresas com práticas ESG robustas exibiram um custo de capital mais baixo, menor volatilidade e menos casos de suborno, corrupção e fraude em determinados períodos de tempo. Por outro lado, estudos têm mostrado que empresas com baixo desempenho em ESG têm um custo de capital mais alto, maior volatilidade devido a controvérsias e outros incidentes, como derramamentos, greves trabalhistas e fraudes, além de irregularidades contábeis e de governança.

Pode não ser surpresa, então, que vários estudos acadêmicos e de investidores nos últimos anos encontraram risco historicamente mais baixo e até mesmo desempenho superior no médio a longo prazo para carteiras que integraram fatores ESG chave juntamente com uma análise financeira rigorosa.

Em um estudo recente, os pesquisadores do MSCI se concentraram em entender como as características ESG levaram a efeitos financeiros significativos. O estudo examinou como as informações ESG embutidas nas ações são transmitidas ao mercado de ações. Tomando emprestado dos bancos centrais, eles criaram três “canais de transmissão” dentro de um modelo de fluxo de caixa descontado padrão (DCF).

Chamamos isso de canal de fluxo de caixa, canal de risco idiossincrático e canal de avaliação. Os dois primeiros canais são transmitidos por meio dos perfis de risco idiossincrático (que seriam riscos únicos ou específicos) das corporações, enquanto o último canal de transmissão está vinculado aos perfis de risco sistemático (que é o risco que afetaria a todos, extremamente difícil de se mitigar, como o Covid-19 ou alguma crise financeira) das empresas.

Nessa pesquisa, eles encontraram que:

  • Maior Lucratividade: No Canal de fluxo de caixa, as empresas com classificação ESG alta eram mais competitivas e geravam retornos anormais, geralmente levando a maior lucratividade e pagamentos de dividendos, especialmente quando comparadas com empresas com classificação ESG baixa.
  • Risco de Cauda Inferior: No Canal de risco idiossincrático, empresas com classificação ESG alta experimentaram uma frequência mais baixa de incidentes de risco idiossincrático, como grandes retiradas. Por outro lado, empresas com baixas classificações ESG tinham maior probabilidade de sofrer grandes incidentes.
  • Menor Risco Sistemático: Canal de avaliação: empresas com classificação ESG alta têm mostrado menor exposição ao risco sistemático, evidenciado por lucros menos voláteis e menos volatilidade sistemática. Em comparação com empresas com baixa classificação ESG, elas também experimentaram betas mais baixos e custos de capital mais baixos.

Sendo assim, vamos ao que interessar. Como se expor a essas empresas que prezam pelas práticas ESG? Pois bem. Na plataforma da Avenue, nós temos alguns ETF`s voltados para esse tema de investimento. Vou comentar 2 principais aqui, para não deixar o podcast mais longo ainda.

O primeiro é o Vanguard ESG US Stock ETF, sob o código ESGV. O ESGV oferece uma visão ESG no mercado dos EUA e inclui empresas de todas as capitalizações de mercado. O fundo exclui empresas nestes setores: entretenimento adulto, álcool e tabaco, armas, combustíveis fósseis, jogos de azar e energia nuclear. O índice do ESGV também usa os princípios do Pacto Global da ONU para excluir ações de empresas que não atendem aos padrões de direitos trabalhistas, direitos humanos, meio ambiente e anticorrupção. Lembrando que trimestralmente ele é revisado.

Ele é exposto totalmente aos Estados Unidos, o que pode ser um ponto negativo neste ETF. Mas para quem procura uma exposição mais saudável e sustentável, com uma pegada mais apimentada, esse ETF possui 37% da carteira no setor de tecnologia. Sendo que algumas das principais posições são Apple (AAPL), Microsoft (MSFT), Amazon (AMZN), Facebook (FB) e Tesla (TSLA). Esse fundo tem cerca de 1459 empresas no seu portfólio e cobra 0,12% de adm ao ano. No ano, o ETF sobe 22,8% e nos últimos 2 anos, conta com uma valorização de 72,3% (superando o SPY – ETF que replica o S&P500 que subiu 57,4% nos últimos 2 anos.)

O segundo ETF é mais diversificado. É o ETF iShares ESG Aware MSCI EM que negocia sob o ticker ESGE. O ESGE rastreia um índice de empresas de grande e média capitalização de economias de mercado emergentes. As ações são selecionadas e ponderadas de acordo com as características ambientais, sociais e de governança positivas, enquanto mantém o risco de investimento / retorno do mercado semelhante.

O fundo rejeita completamente empresas com base em valores (armas polêmicas, tabaco e armas de fogo) e mudanças climáticas (carvão térmico e clima de areias petrolíferas). As empresas envolvidas em graves controvérsias de negócios (determinadas pelo fornecedor do índice) também estão excluídas. Vale lembrar que esse fundo também é rebalanceado trimestralmente.

Sua exposição é bem versátil. A maior exposição é Hong Kong, com 36,2% da carteira total. Porém, logo em seguida temos Taiwan, Coréia do Sul, Índia, Brasil, África do Sul e outros. É outro ETF que o segmento de tecnologia tem um peso relevante, com 41,7% do portfólio do fundo. O segundo maior setor é o financeiro, com 22,36% do portfólio. Algumas de suas principais posições são Alibaba (BABA), Taiwan Semiconductors, Tencent, Samsung, Naspers e a JD.COM.

Esse é um fundo com um número menor de participações, mas que ainda é bastante diversificado em questão de região. Conta com 342 companhias na carteira e uma taxa de adm de 0,25% ao ano. No ano, esse ETF sobe 13,3% e em 2 anos sobe 36,1%. Não bateu o SP500, mas pelo menos, entregou um bom retorno, ainda mais quando você é um americano e está acostumado com um juro tão baixo.

 

Vou ficando por aqui pessoal, hoje tem sala de análise as 9:30 comigo, vou comentar um pouco mais sobre ESG. E as 10:15 com o Bo Williams, passando em vários gráficos. Quem quiser me seguir nas redes sociais, o meu instagram é @brenobonani e o twitter é @breno_bonani. Por fim, desejo a todos um excelente dia, um ótimo começo de semana e um Forte abraço!!

 

Era isso.
Aquele Abs.

Twitter: @willcastroalves
Instagram: @willcastroalves
Linkedin: William Castro Alves

Disclaimer: O conteúdo deste podcast é apenas para fins informativos, não serve como recomendação de compra ou venda de qualquer título na Avenue ou em qualquer outra conta. Ele também não é uma oferta ou venda de um título. Também não são relatórios de pesquisa e não servem como base para qualquer decisão de investimento. Todos os investimentos envolvem riscos e o desempenho passado não garante resultados ou retornos futuros.

Leave a Reply