A importância de termos prazos adequados de investimento – by Carlos Muller

Bolsas, Buggpedia
Tempo de leitura: 9 min

A importância de termos prazos adequados de investimento

Imagine a situação em que foram oferecidas a você 4 alternativas de investimento. As 4 estratégias possuem mesmo prazo de maturação e rentabilidade. A diferença básica entre elas é a volatilidade, ou seja, entre uma e outra o que veremos são divergências entre as magnitudes das variações de preços.

As imagens abaixo exemplificam esses 4 investimentos:

 

 

 

 

 

Ao se deparar com essas 4 alternativas, qual você escolheria? Lembrando, o prazo do investimento e a rentabilidade oferecida, são iguais.

Eu imagino que a imensa maioria das pessoas escolherá a opção A. Se vamos ganhar o mesmo dinheiro, por quê ficar sofrendo com as oscilações, não é mesmo? Antes de explicar o que quero dizer com tudo isso, vou me apresentar rapidamente.

Sou o Carlos Müller, atuo como analista de investimentos há quase 14 anos, sendo os 4 primeiros como sell side e o restante no buy side. A minha escola, bem como minha visão sobre mercado, vê com muito bons olhos o investimento de longo prazo. Reconheço o valor de estratégias de curto prazo, conheço alguns profissionais que desempenham bem com essa ótica, mas me sinto mais confortável olhando os investimentos com um prazo mais estendido. Talvez seja até uma questão de aptidão. Sempre agreguei mais resultados analisando empresas do que oscilações. Uma constante de quem está há algum tempo no mercado são aqueles questionamentos: “Estou investindo para o longo prazo. Tal ação caiu __% ontem, vale a pena comprar?” Ou “O fundo abcde está subindo __% no ano, ele é uma boa alternativa?”

Pensando na situação de uma ação. Se a empresa segue robusta, com boas perspectivas de resultados, sólida operacionalmente, não é necessariamente a variação de um dia ou alguns dias que vai tornar ela melhor ou pior. Se o preço seguir atrativo, maravilha!

Analisando um fundo, não é porque ele subiu ou caiu em um determinado ano, que o produto passou a ser bom ou ruim. A resposta está mais relacionada a como a gestora identifica oportunidades e gera resultados ao longo do tempo do que em uma janela específica.

Enfim, é dessa maneira que analiso alternativas de investimento e espero poder contribuir por aqui. Feito esse parêntese gigantesco, voltamos àqueles investimentos. As alternativas A, B, C e D são investimentos realizados ao longo de 20 anos e cujo retorno foi de aproximadamente 680% no período.

Alguns já devem ter se dado conta, mas os 4 gráficos são do mesmo ativo.  Sim.

A opção A é o Ibovespa com uma periodicidade de 10 anos. A opção B é o Ibovespa com prazo anual. A C com uma janela de 5 anos e a D é um gráfico mensal.

Eu acredito que a percepção de risco ou desconforto é maior ao olharmos o gráfico mensal do que o de 10 anos. Concorda? Não coloquei a informação diária, pois o gráfico ficaria ainda mais poluído, mas se pensarmos em variações entre um dia e outro, elas não podem causar mais incômodo até do que as mensais?

Diariamente o que acontece é que os ativos trocam de mãos, temos diversas notícias saindo (importantes ou não), investidores com necessidades maiores ou menores de liquidez, clientes aportando recursos, solicitando resgates e muito, mas muito ruído.

Se a nossa estratégia de investimentos não está relacionada a capturar variações ou desvios de curto prazo, não faz sentido ficarmos sofrendo ou vibrando com oscilações de curto prazo. O fluxo frequente de notícias pode nos influenciar a tomar decisões que não estão de acordo com as nossas necessidades. Podemos não concordar, mas se todos os dias vemos notícias de que o mundo está acabando e todas as empresas irão quebrar, a tendência é que a gente passe a aceitar essas ideias. A disponibilidade informações influencia nas nossas decisões.

O investimento que é feito com uma ótica de longo prazo deve ser acompanhado e monitorado para esse horizonte. Quando invisto em uma petrolífera, a variação do barril de petróleo hoje vai afetar a cotação da ação hoje, mas não o valor da empresa no futuro. São coisas diferentes.

“Ok, Carlos, mas o mercado oscila diariamente, o que eu faço?”

Para quem possui qualquer atividade profissional que não esteja relacionada ao mercado financeiro, se dedique a ela. Os investimentos não vão deixar você rico. O que vai tornar você rico é a sua atividade profissional. Um investimento bem feito irá ajudar a encurtar o caminho.

Diminuir a quantidade de leituras diárias ou semanais ligadas ao mercado também é uma ótima alternativa. Quanto menos tempo dedicamos a coisas que pouco agregam, mais tempo sobra para aquilo que realmente é importante.

Já para quem atua no mercado financeiro, não há muita alternativa. Essa é a nossa realidade. Mas se eu posso sugerir algo, é foque naquilo que interessa. Se a sua tese de investimento possui 3 pilares fundamentais, por exemplo, gaste energia entendendo o que impacta ou pode afetar esses 3 itens. Existem várias coisas que são aleatoriedade e estão totalmente fora do nosso controle, por quê sofrer com isso?

“Então para eu investir em ações eu só preciso olhar meus investimentos a cada 5, 10 anos?” Não.

Se você está habituado a acompanhar seus investimentos diariamente, tente olhar somente 1 vez por semana, depois uma vez por mês. Se a sua estratégia de investimento foi bem montada, possui um prazo adequado, acompanhar o andamento e fazer uma realocação, se for verificada a necessidade, a cada 6 meses ou 1 ano já está muito bom. Não é por quê o mercado oscila que precisamos ficar oscilando junto.

Os investimentos estão aí para ajudar a termos mais qualidade de vida ao longo do tempo. Se os investimentos têm virado sinônimo de ansiedade para ver como o mercado abriu ou fechou, de alguma chateação ou euforia relacionada às variações, repense a estratégia.

Nas próximas semanas devo trazer algumas opiniões também sobre ativos. Gosto de falar um pouco sobre essa parte comportamental, pois considero que o sucesso de qualquer estratégia está relacionado também a como reagimos aos estímulos que recebemos. Contudo, podem ficar tranquilos que a minha contribuição irá além disso.

Lembrando que podemos utilizar várias estratégias nos nossos investimentos. Não existe um único caminho correto. O que eu quis trazer aqui foi uma visão que acredito funcionar bem para a maioria das pessoas. Espero ter ajudado.

Um abraço,

Carlos

Facebook: Carlos Müller
Instagram: @ocarlosmuller
Twitter: mullercarlos

 

Disclaimer Os relatórios e/ou em qualquer conteúdo de análise e recomendação providos pelo Bugg possuem caráter meramente informativo e tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o usuário a tomar sua própria decisão de investimento, não devendo ser considerado como uma oferta para compra ou venda de ativos. Os editores responsáveis pela elaboração deste relatório declaram, nos termos da Instrução CVM nº 598/18,que as recomendações do relatório refletem única e exclusivamente as suas opiniões pessoais e foram elaboradasde forma independente. Além disso, os instrumentos financeiros discutidos neste relatório podem não ser adequados para todos os investidores. Este relatório não leva em consideração os objetivos de investimento,a situação financeira ou as necessidades específicas de um determinado investidor. A decisão final em relação aos investimentos deve ser tomada por cada investidor, levando em consideração os vários riscos,tarifas e comissões.

One thought on “A importância de termos prazos adequados de investimento – by Carlos Muller

  • Muito bom! Faço parte da maioria que talvez escolhesse a opção “A”, mas sabendo que havia alguma “pegadinha” nisso rs. Bem lembrado dizer que: “Não é por quê o mercado oscila que precisamos ficar oscilando junto.” Gostei do artigo. Obrigado!

Leave a Reply